Via face




Quem apanha demais?

Não tenho como pedir para outro sentir em meu lugar.

Ignoro o meu lamentar. 
Sem som.

Por que me bates?
Um cão ferido não late.
Uma árvore derrubada não grita.
E por que deveria chorar alto as minhas dores?
Se daqui a alguns dias voltarei cantando. É cansativo e perdeu a graça reclamar tanto os mesmos as minhas ânsias.
Cansei de buscar as razões que apanho, falar da insegurança cozinhando a minha asa esquerda.
Se não saio há tanto tempo deste lugar aprendi a fazer dele a minha morada.
Bastam os cheiros das primaveras.
Bastam as minhas vontades profundas de perdoar.







Nenhum comentário: