Blog da Cátia Pipoca - Dicas de Concursos Públicos

Recomeçar - Parte II


Não importa onde você parou,
em que momento da vida você cansou,
o que importa é que sempre é possível
e necessário "Recomeçar".
Paulo Roberto Gaefke

O poeta resumiu em suas palavras um dos mandamentos que deve ser seguido pelos concurseiros. Na trajetória de nossa vida é inevitável os tropeços, duras quedas, marcas que ficarão para sempre. Impossível não sentir na boca o gostinho da vitória. Aquela sensação de que esteve tão perto, mas por um descuido a gente passa tão longe. Como foi possível? E agora precisarei recomeçar ou em simples palavras começar de novo.

Que coisa mais complicada, deixar atrás tudo aquilo que se fez em busca de um novo começo. Que seja mais focado agora, que não tenha aqueles desvios de atenção tão comuns na preparação. Que o coração seja mais forte e suporte a solidão tão necessária. Que as horas não sejam torturantes. Que a alma suporte cada  segundo debaixo de uma tempestade de emoções.



Recomeçar seria uma palavra até bonitinha, começar de novo, puro e simplesmente assim, mas não é. Quando se busca o recomeço estamos sujeitos à intensa carga de emoção negativa, nela reproduz-se o medo. Você recomeça, mas com pé atrás não quer mais se arriscar como antes. Na primeira tentativa cheio de certeza você mergulha na aposta de uma vitória, certo da conquista começa a planejar tantas coisas como enfim aproveitar finais de semana, curtir mais a vida, ler por prazer, viajar, etc, mas passado tudo, resultado não é o esperado.


Comigo foi assim no concurso do TRE-SP. Havia começo os estudos há pouco mais de um ano, prestando poucos concursos, apenas aqueles em que tivesse grande maioria das matérias em comum, o objetivo era focar naquele que seria o concurso da minha vida. O edital saiu um ano após o vencimento, prova em março, quando completaria um ano e 6 meses de estudos, não poderia estar mais confiante. Finalmente saberia o sabor de comemorar a aprovação num concurso tão concorrido, sentiria que os anos de estudos e privação finalmente resultariam na merecida classificação dentro das vagas. Porém, apesar de um resultado satisfatório em grande maioria não foi suficiente, fiquei longe das vagas e nem mesmo tenho chance de ser chamado durante o período de validade dos concursos.



E agora como fica? Recomeçar é a palavra. Fico refletindo sobre o novo começo, é preciso esquecer o medo, o que passou, passou. Agora me vejo em uma nova jornada, ciente dos meus erros e não me esquecendo deles tentarei usá-los a meu favor. Sejam eles ferramentas para futuros acertos. Precisamos agir assim. Sei que descuidamos muito de nós em nossa preparação. Seja nossa saúde que fica fragilizada, nos afundamos no sedentarismo e quem pensa que é apenas o físico muito se engana. Tantas vezes engessamo-nos em nossa capacidade intelectual, buscando apenas decorar fórmulas, leis e se esquecendo de buscar o enriquecimento espiritual, abandonamos nossas convicções por não ver o resultado que esperamos.

Acredito que precisamos amadurecer muito, nossa jornada nos proporciona parte disso. Nela encontramos não apenas o caminho para aprovação, mas também a disciplina para vivermos melhor. Iremos carregar pelo resto da vida o aprendizado. Então não seria melhor aproveitarmos a viagem? Que recomeçar não seja vergonha de um fracasso, seja oportunidade de amadurecimento, seja uma forma de crescimento, seja o caminho para nossa aprovação.

 Boa semana!!!

Abraços.

4 comentários:

Anônimo disse...

Muito tocante!
Parabéns pelo encadeamento de pensamentos tão compreensíveis!

Luciana disse...

Dá muita raiva de nós mesmos quando passamos por certas coisas, sentimento de tempo perdido, de injustiça. Nesses casos é bom se permitir um dia ou alguns dias de luto, descansar, ver um filme, passear um pouco. Mas aí é bom lembrar que esse caminho não tem volta, e já que não vamos desistir mesmo, é melhor voltar logo aos estudos, ao planejamento para um novo certame.

Francis Franco disse...

Anônimo, fico feliz que tenha compreendido o texto. Bom poder ajudá-lo(a).

Luciana, é o sentimento que tenho guardado, duro é nos permitir alguns dias de descanso e mergulhar neles como se fossem nossa aposentadoria. Acabamos nos perdendo e voltar aos estudos se torna mais difícil que o imaginado. Vamos seguindo respeitando nossos limites e quando for necessários superando-os de forma que nosso objetivo seja alcançado.

Abraços!!!

Antonio disse...

Muito tocante!
Parabéns pelo encadeamento de pensamentos tão compreensíveis!
[2]

Abraços