Blog da Cátia Pipoca - Dicas de Concursos Públicos

APRENDA A ISOLAR AS DISTRAÇÕES EXTERNAS

É muito comum de recebermos no blog desabafos de concurseiros. São desabafos sobre problemas e toda ordem ... familiares ... profissionais ... financeiros ... motivacionais, e por aí vai. Muitos desses desabafos nos inspiram a escrever artigos, algo que é ótimo porque ajuda o blog a se tornar, realmente, afinado com os anseios e dúvidas dos concurseiros.

Pois bem, recentemente recebemos um desabafo que me chamou muito a atenção:

"Cheguei cedo ao local de prova, e me instalei na classe. Outros candidatos, obviamente, chegaram e também se instalaram na classe. E, antes mesmo da fiscal distribuir as folhas de respostas, notei que um concurseiro estava um tanto inquieto em sua carteira: bocejava, depois bufava, tossia.... enfim... diversas manifestações bucais. E a classe em silêncio. Mal foi distribuída a prova e esse nosso amigo continuou a bufar e bocejar. Até chegar ao ponto de praguejar, não em alto som, mas deu para ouvir: ai meu Deus do céu... E assim foi, durante as 2 horas e meia em que ele permaneceu na sala. Minha pergunta, para finalizar: tal comportamento visa desestabilizar outros candidatos, é falta de bom senso, ou esse concurseiro não sabia o que fazia lá?"

Ao ler esse relato, de cara fui transportado para um domingo quente na capital federal no meu primeiro ano como concurseiro. Era começo da tarde, estava em uma escola de nível fundamental, calor, carteiras para crianças de até 12 anos que me deixavam com as pernas doendo ... tudo embalado por um maldito pago (naquela época ainda era pagode) em alto volume vindo de algum maldito carro estacionado nas imediações. Imagine meu desespero. Apanhando da CESPE numa prova muito mais difícil que esperava, incomodado pelo calor, com as pernas doendo e pagodeiros malditos cantando refrões ridículos ... não consegui me concentrar.

Com essa experiência maledeta aprendi da pior forma possível que precisa aprender a me isolar de distrações externas, que sempre existirão durante provas de concursos públicos. Essas distrações podem vir na forma sonora (barulhos, músicas, ruídos, ...), visual (luz demais, luz de menos, cores berrantes, ...) ou mesmo sensoriais (muito calor, muito frio, ...). É claro que algumas distrações são complicadas de ignorar, porém a maioria é facilmente ignorável.

No caso das distrações complicadas de ignorar, o concurseiro deve reclamar para o fiscal da prova e se ele não resolver, para quem estiver acima do fiscal da prova. Alguém da organização terá de tomar alguma providência. Dependendo do caso (trio elétrico a todo volume do lado da sala de prova, por exemplo) cabe até registar um Boletim de Ocorrência (BO).

Agora, no caso das distrações ignoráveis, leva vantagem os concurseiros que aprenderam a ignorá-las.

"Mas como faço isso?"

Hum, concurseiro, com muita prática e disciplina. Tudo que que é uma resposta um tanto exotérica e pouco prática, mas é por aí mesmo. Um bom exercício é estudar pelo menos uma hora por dia numa praça não muito silenciosa. No começo os ruídos ao seu redor insistirão em tirar sua atenção do que estiver estudando, mas com o tempo você aprenderá a ignorá-los até o ponto em que estudará aquela hora inteira sem se dar conta dos ruídos externos.

RESUMO DA ÓPERA - Aprenda a ignorar o máximo possível interferências externas enquanto você estuda. Se necessário se exponha a essas interferências a fim de aprender a ignorá-las. Fazendo isso enquanto estuda, automaticamente você estará se preparando para fazer a mesma coisa enquanto faz provas.

CHARLES DIAS é o Concurseiro Solitário.

IMPORTANTE - Os textos publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores em termos de opiniões expressadas. Além disso, como não contamos com um(a) revisor(a) de textos, também a correção gramatical e ortográfica é de inteira responsabilidade dos mesmos.
------------------------

Por Catia: Excelente Blog. Indico
-
-

2 comentários:

Leonardo F. disse...

Nossa, conheci seu blog quando procurava entender melhor a tênue distinção entre os atos complexos e compostos. Adorei, muito legal mesmo! Parabéns pela iniciativa, até ri muito, hehe!

Anônimo disse...

Qual concurso vai prestar? Juiz, MP, PM ...
Aprenda a isolar as distrações externas, olhe-se no espelho, levante a mão até o ouvido, e diga a você mesmo, eu quero passar no concurso, determine-se
Se na sala de estar estão assistindo ao filme Tropa de Elite com o som no último volume e você não consegue estudar, relaxe ...
Sente-se e imagine um filme melhor ...
O funcionário público entra para depor e senta-se ...
É humilhado pelas Excelências que dizem que ele nada sabe sobre as leis que aquela casa faz ... e que se limite a cumprí-las ...
O funcionário começa seu depoimento:
Senhores e Senhoras
Respeito e admiro a quem faz leis que regem a vida de todos os cidadãos...
Melhoram a vida de muitos ... e pioram também ...
As leis que fazem somente diz respeito a uma pequena parte da existência de todos nós, pequena parte ...
Confundem existência e vida, lamentável engano ...
Podem condenar à morte um indivíduo, tirar-lhe a vida, mas nada sabem sobre a existência do mesmo, continuará existindo? resolveremos o problema?
Nada sabem sobre as leis da existência, apenas e tão somente, a pequeníssima parte sobre as leis da vida ...
Limitações, eu entendo, justifica a miopia do olhar sobre a realidade ...
Direito Constitucional, Administrativo, Tributário etc.
Já que esta casa faz Leis, me falem sobre as Leis da Existência ...
e continua seu discurso (por algumas horas) ...
E sai de lá como mostra a foto acima ...
Depois de imaginar esse filme (que leva apenas alguns minutos) não se importa mais com o mesmo, volta aos estudos, completamente em paz por saber que o que terá que estudar é apenas e tão somente uma pequeníssima parte de algo muito maior...