Inveja, Desespero e Outros assuntos humanos, nacionais e concursândicos


INVEJA, DESESPERO E OUTROS
ASSUNTOS HUMANOS, NACIONAIS E
CONCURSÂNDICOS
(...)
Nos estudos do PEPP – Programa de Enriquecimento Pessoal Progressivo, que desejo compartilhar em breve com os servidores públicos (sim, você vai passar e vamos falar de como ficar ainda mais rico!). Tenho estudado administração financeira. Acredite: bons livros sobre como enriquecer financeiramente falam a mesma coisa que meu bom e velho Como Passar em Provas e Concursos, de 1998 (e, modéstia a parte, ainda o mais completo livro sobre o tema). Ou seja, estamos lidando com o mesmo conhecimento. E ele inclui o seguinte: não inveje, não torça contra, não se alegre quando alguém se der mal, alegre-se com o sucesso dos outros, mesmo o de seus inimigos. Deseje o bem. Tudo o que você faz, retorna para você. O que você imagina, acontece. O que você visualiza, programa sua mente.
Se um concurso no ES não deu certo, isso é ruim! O sistema concurso público é uma benção, algo bom, uma oportunidade, e tem vários inimigos, como o nepotismo, a incompetência administrativa, a fraude etc. Daí, precisamos trabalhar para que o sistema melhore. E ele melhora quando funciona bem.
Daí, minha frase em resposta ao colega: "E torça para que o concurso do ES funcione para quem já passou."
Esse é um ponto importante: se você quer se sair melhor mental, fisicamente, emocional e intelectualmente, se você quer passar em concursos, siga um conselho: não deseje mal, não torça contra, não olhe para quem está melhor que você e sofra. Faça o seguinte: deseje o bem, torça a favor, olhe para os caras que estão à sua frente e anime-se a perseguir sua melhoria pessoal.
Se você fizer isso, seu desempenho global será extremamente aperfeiçoado. E esse conhecimento que informo aqui (se aplicado por você, se transformará em sabedoria) serve para tudo, de concursos a sexo, de riqueza financeira (a mais tosca forma de riqueza) até a riqueza espiritual (a mais evoluída das formas de riqueza).
Mas se você quiser focar apenas nos concursos, tudo bem: o desempenho em concursos é afetado pela sua emotividade; e o seu desempenho intelectual é afetado pelas imagens, positivas ou negativas que você tem na mente. Isso é uma lei natural. Não muda. Assim como a lei da gravidade. Ou você se comporta de acordo com ela e obtém vantagens, ou não acredita nela e tem problemas. Camarada, se você não acredita na lei da gravidade, experimente pular de um prédio sem pára-quedas. Se você não acredita que seus sentimentos, emoções e imagens mentais não influenciam,
tudo bem, mas vai "bater no chão" do mesmo jeito. Apenas o tombo leva mais
tempo.
Senhores, o que coloco aqui é ensinado por todas as doutrinas religiosas e boa parte das doutrinas filosóficas: a lei do retorno. A programação neurolinguística, o Método Silva, os estudos psicológicos, as experiências e pesquisas, tudo diz uma coisa só: aquilo que você deseja, acontece; aquilo que você faz (e deseja para os outros), retorna para você multiplicado.
Posso assegurar a vocês, já quase chegando aos 40 anos, que até aqui tudo o que vivi tem confirmado o quanto esse conhecimento é verdadeiro, o quanto ele funciona na prática.
Assim, cuidado com o que deseja. Acontece para você e para o planeta. Queira o bem dos concurseiros, mesmo que não seja você, e do sistema concurso como um todo. É melhor assim.
O colega "X" ainda falou da sua esperança em passar no concurso do TRF da 2ª Região. Eu também espero isso. Mas relembro: "concurso se faz não para passar, mas até passar", que é um dos "mantras". E outro: "A dor é temporária, o cargo é para sempre". Relembrado isso, torço, espero e oro para que seja logo.
Para concluir, também disse ao colega: "Espero que o desespero não te alcance mais. Você não merece. Não deixe, então."

Você pode ter momentos difíceis, momentos de desânimo etc, e existem fórmulas para lidar com essas ocasiões. Mas... desespero, não. Desespero é falta de esperança, de não ter para onde ir. Há pessoas sem oportunidades, estudo, portas a serem abertas, pessoas profundamente adoentadas do corpo ou da alma, pessoas sem instrução alguma. Essas pessoas podem ficar desesperadas. Mas um concurseiro, não. Um concurseiro tem portas para abrir, como disse. Não tem o direito de ficar desesperado, até porque isso atrapalha o desempenho.

Por fim, quando você passar, aí então terá, além das justas retribuições do cargo, poder na mão para fazer alguma coisa pelos desesperados desse imenso país. Qualquer que seja o seu cargo, você poderá tornar esse país mais justo e decente. A partir de seu metro quadrado de serviço público, acredite. Isso é revolucionário. Mas a revolução, como disse, é assunto para outro dia.

Saudações concursândicas a todos!


William Douglas

Nenhum comentário: