Blog da Cátia Pipoca - Dicas de Concursos Públicos

Por Ninha: O valor das pequenas coisas...


Minha mãe sempre me dizia uma coisa quando era menina: Em tudo dai graças e que eu tinha que dar valor as pequenas coisas.
Eu demorei um bom tempo pra entender aquilo e pra aceitar também.
Não entendia como eu poderia agradecer pelas coisas estarem ruins e num mal caminho. 
E que valor era esse? Pequenas coisas, gestos, pessoas..Bahh.....eu só era uma menina boba.
Mas quando se é mais velha e tropeça um bocado pela vida, isso tudo faz sentido.
Voltei à faculdade há um mês e confesso que já cansei rs.....A correria do dia a dia, descer e subir a serra, deixar meu filho em casa.
Quase não ter tempo mais pra estudar pros concursos.
Mas sei que é um esforço necessário porque faz parte da meta que tracei pro meu futuro.
Então ontem subindo de volta pra casa, li o contrato de formatura da faculdade...Um valor que hoje pra mim é "astronômico" tipo 2.000,00 rs....É uma festa muito legal, de libertação etc. Uma coisa da qual sempre quis participar. Mas pensando no meu filho, que tem 13 anos e fica em casa me esperando chegar, analisei o que minha mãe me dizia há anos e anos.
Não há nada de errado em pensar grande e trabalhar duro para conseguir aquilo que se quer, mas a verdade é que as pessoas estão trabalhando demasiadamente para comprar coisas que supostamente vai lhes trazer felicidade, mas que pode justamente trazer o oposto.
Então decidi não participar do baile, guardar as parcelas todo mês e no final desse período de 2 anos e ir viajar com meu menino....que estará com 15 anos.
Porque ele é meu maior "colaborador" nesse momento, abdica da minha cia pra que eu possa num futuro não muito distante, melhorar sua vidinha tão linda.
Durante muito tempo procurei entender qual o verdadeiro motivo da felicidade e, descobri que as pessoas mais felizes são aquelas que aprenderam a apreciar o valor das pequenas coisas, que descobriram que não é o objeto do desejo que trará a felicidade, mas a experiência de estar vivo e aproveitar cada momento. Resolvi ao invés de comemorar por uma noite, deixar em nossas memórias lembranças belas, de uma viagem onde ficarão as fotos, as alegrias por ter ido a um lugar legal. Prefiro deixar na lembrança desse meu colaborador que ele também tem seu valor e que num pedaço de papel em um quadro na parede, ele com seus 20 e tantos anos olhe e diga: Poxa, eu ajudei minha mãe a conquistar aquilo alí!!!
Você pode me dizer agora: nossa, o que eu tenho a ver com isso?
Bem, me diz você. O que você valoriza nessa sua jornada? 

Até a próxima!

Nenhum comentário: