Dez passos para ser aprovado em concurso público

A aprovação em concurso público depende de disciplina que nem todos têm. Para desenvolvê-la e chegar ao objetivo maior, algumas atitudes estão ao alcance de qualquer pessoa, especialmente dos concurseiros. Elas são baseadas na Disciplina de Maratonista, tema sobre o qual venho escrevendo já há algum tempo, para mostrar a analogia que existe entre o espírito competitivo do atleta de maratona e o do candidato a concurso público que realmente deseja conquistar sua vaga. São dez os passos a serem seguidos, que detalharei neste artigo.

1. Local de estudo Encontre um lugar reservado, para estudar em ambiente calmo e silencioso. Isso irá auxiliá-lo na concentração durante as horas dedicadas ao repasse das aulas ou à leitura de textos que fazem parte do programa do concurso.

2. Simulados regulares Faça simulados regularmente. A disciplina deve ser sua eterna aliada. Firme um compromisso com familiares e amigos e conte com o apoio deles. Siga as dicas e tenha a determinação de um maratonista. 

3. Inexperiência e imediatismo É o caso do aluno que, na véspera do concurso, intensifica o estudo ou passa a noite revisando o conteúdo e, no dia seguinte, na hora da prova, depara com um inimigo chamado estresse. O imediatismo também deve ser evitado pelo candidato. Tal como ocorre com o maratonista, é preciso definir uma estratégia e segui-la rigorosamente, sem pressa. Adquira segurança para que, no final, possa dar um sprint.

4. Simulações O concurseiro deve ter a preocupação de se habituar ao estudo em locais públicos e com certo nível de barulho, porque podem ser essas as condições do local do exame. Outra simulação válida tem a ver com o tempo de realização das provas: estude durante o mesmo tempo que durará o exame, a fim de que o corpo esteja bem preparado na hora do concurso.

5. Tempo como aliado Diferentemente de um maratonista, que deve intensificar o ritmo nas semanas que antecedem a prova, o candidato a um cargo público deve reservar esse tempo para a revisão geral. Além da complexidade do conteúdo das provas, um dos grandes inimigos do candidato é o tempo. Saber administrá-lo na resolução das questões é um grande diferencial nos concursos. Sugiro que o candidato faça cursos de leitura dinâmica e de memorização.

6. Sem desânimo Maratonistas e concursandos não podem se dar ao luxo de tirar férias ou de parar de treinar ou de estudar sem antes alcançarem seus objetivos. Devemos ignorar o senhor Desânimo e outros tipinhos, em busca do pelotão em que se encontram as senhoras Disciplina, Perseverança, Superação e Energia.

7. Concorrência – Não se intimide com a concorrência. Dos outros candidatos, apenas 10% possuem alguma chance de classificação no concurso. Assim, um simples detalhe pode garantir ao candidato excelente pontuação. Refiro-me a diferenciais, como ter feito um curso de exercícios ou um curso por matéria, ter assistido a uma aula particular, ter estudado um caderno de prova comentado.

8. Concentre-se Manter o foco e a concentração são essenciais para alcançar o objetivo. É preciso vigiar seus passos para não cair nas armadilhas da desconcentração. O foco nos estudos e nos objetivos é importante instrumento para obter sucesso. Lembre-se da dica de ouvir música clássica, por dez ou quinze minutos, antes de começar o turno de estudo com a rotina de um operário.

9. Engane o sono Desenvolvi ótima técnica para isso quando fazia faculdade. Certa vez, li que o ser humano dorme apenas quando esquenta os pés. Então, para me manter acordado de madrugada — já que trabalhava durante o dia e estudava de noite —, colocava os pés numa bacia com água fria e, durante algumas horas, estudava com afinco. Trata-se de método natural que apliquei com freqüência e que me ajudou bastante. Por que não experimentar?

10. Na hora “H” Lembre-se de que há questões elaboradas para ninguém responder. O intuito é desarticular o candidato e abatê-lo psicológica e emocionalmente. Esqueça tal entrave e siga em frente, lembrando-se de que até 10% dos itens poderão ser resolvidos com base no conteúdo fornecido na própria prova. Separe um tempo para cada matéria e pelo menos trinta minutos para marcar o cartão de respostas. Os editais costumam estabelecer nota mínima em cada prova e no grupo de provas. Portanto, não adianta gabaritar algumas disciplinas e não tirar a nota mínima em outras. Eis um macete: no exame, o candidato vai deparar com questões irresolúveis (coloque “C”, de “complexo”, e esqueça), questões que provocam alguma dúvida (coloque “V”, de “voltar”) e questões fáceis (resolva-as imediatamente e assinale logo o gabarito).
Lembre-se: a aprovação ou a reprovação está no detalhe. Leve em conta essas dicas de um concurseiro profissional.



Prof. Granjeiro

Nenhum comentário: