Blog da Cátia Pipoca - Dicas de Concursos Públicos

CONCURSO DO INSS- Entrevista com Hugo Goes.

CONCURSO DO INSS- Entrevista com Hugo Goes.



Olá pessoal! Segue abaixo a entrevista com o eminente professor Hugo Goes.



Hugo Goes Nasceu na zona rural do pequeno Município de Cruzeta, no sertão do Rio Grande do Norte. Filho de trabalhadores rurais, sempre estudou em escolas públicas. É Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil; bacharel em Direito pela UFPE e em Ciências Contábeis pela UFRN; pós-graduado em Direito Tributário pela UNISUL; professor de Direito Previdenciário em cursos de pós-graduação e preparatórios para concursos públicos; autor de vários livros de Direito Previdenciário.


Cleyton Fernandes: Há a possibilidade de o concurso ser realizado ainda este ano?

HUGO GOES: Sim. A Presidenta Dilma já autorizou. A notícia foi publicada no site do INSS. O ministro da Previdência já anunciou, via twitter, que o edital será publicado até o final de setembro de 2011.


Cleyton Fernandes: O concurseiro que começou sua preparação há poucos meses tem chances de ser aprovado? Se sim, o que ele deve fazer para conseguir a aprovação?

HUGO GOES: Sim. Para o concurso de Técnico do Seguro Social, creio que com seis meses de estudo, o candidato terá condições de concorrer a uma vaga. É verdade que os que estão estudando há mais tempo levam vantagem.



Cleyton Fernandes: Qual a importância de o candidato fazer um cursinho preparatório? Qual o senhor indicaria?

HUGO GOES: Isso depende do perfil de cada candidato. Alguns aprendem mais estudando pelos livros. Outros, assistindo aula. Acho que o ideal é fazer as duas coisas: um complementa o outro.
Em Recife, indico o Espaço Jurídico. Na modalidade on line, Eu vou passar.



Cleyton Fernandes: É preciso além de adquirir bons livros ter conhecimento da literalidade da lei? Quais livros o senhor indicaria e quais os diplomas legais mais relevantes?

HUGO GOES: O ideal é estudar pelos dois materiais: livro e lei. Na matéria Direito Previdenciário, indico o nosso MANUAL DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO. No tocante às leis, a mais importante é Lei 8.213/91. Mas também vale a pena ler o Decreto 3.048/99 (só a parte relacionada com o programa). A IN 45 é enorme. Utilize-a como fonte de consulta dos temas que você estiver com dúvidas.

Cleyton Fernandes: Qual deve ser a postura de um concurseiro vencedor?

HUGO GOES: Só existem duas regras para passar em concursos públicos:
Regra nº 1: Estude!
Regra nº 2: Não esqueça a Regra nº 1.




Cleyton Fernandes: Quais dicas o senhor daria para os candidatos que trabalham e estudam?

HUGO GOES: A maioria dos candidatos que passam em concurso público já trabalha. Assim, você tem grandes chances de aprovação.

Cleyton Fernandes: Qual banca, em sua opinião, regerá o concurso?

HUGO GOES: CESPE/UnB.

Cleyton Fernandes: Qual a importância de responder questões de provas anteriores?

HUGO GOES: Descobrir qual a forma que a banca examinadora cobra na prova os assuntos que você está estudando.

Cleyton Fernandes: É preciso ler as leis: 8213/91, 8212/91, decreto 3048/99, IN 45 2010, IN 971 da RFB/2009?

HUGO GOES: Para o concurso do INSS, a IN RFB 971 não tem importância. No tocante às demais, leia a resposta que dei na pergunta nº 4.


Cleyton Fernandes: Qual mensagem de Fé o senhor deixaria para os concurseiros que aguardam ansiosamente por este concurso?

HUGO GOES: Acredito profundamente no que diz o versículo bíblico abaixo:

“Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa” (ISAÍAS 41:10).

É maravilhoso vivermos na presença de Deus. Digo isso por experiência própria: já vivi distante e próximo Dele. Sei a diferença.
Mas como eu faço para me aproximar de Deus? Convide-o para ser seu amigo! Mas como é que eu faço isso? Da mesma forma que você faz amizade com qualquer pessoa: procure conversar com Ele. Mas como eu faço para conversar com Ele? Por meio da oração (que você pode chamar de reza, prece etc.).
Orar é conversar com Deus. Mas como devemos orar? Deixemos que Jesus, o Mestre dos Mestres, nos ensine. No Evangelho de Mateus (capítulo 6, versículos 5 a 8), Ele nos dar a seguinte orientação:

"E quando vocês orarem, não sejam como os hipócritas. Eles gostam de ficar orando em pé nas sinagogas e nas esquinas, a fim de serem vistos pelos outros. Eu lhes asseguro que eles já receberam sua plena recompensa. Mas quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está em secreto. Então seu Pai, que vê em secreto, o recompensará. E quando orarem, não fiquem sempre repetindo a mesma coisa, como fazem os pagãos. Eles pensam que por muito falarem serão ouvidos. Não sejam iguais a eles, porque o seu Pai sabe do que vocês precisam, antes mesmo de o pedirem."

Em seguida (nos versículos 9 a 13), ao nos ensinar a oração do "Pai Nosso", Jesus nos mostra como deve ser estruturada uma oração. Entendo que a oração do Pai Nosso é apenas um modelo de oração. Mostra-nos os passos que devemos seguir quando fizermos nossas orações. Não é algo para ser, mecanicamente, repetido. Não devemos esquecer o que Jesus disse no versículo 7: "quando orarem, não fiquem sempre repetindo a mesma coisa".

Em nossas orações, podemos até repetir as mesmas palavras do Pai Nosso, desde que meditemos acerca do significado de cada palavra. Portanto, vamos tentar descobrir o sentido e o alcance de cada expressão dessa maravilhosa oração:


1 Pai nosso, que estás nos céus

Aqui, Jesus nos ensina a quem devemos dirigir nossas orações. É ao Deus Pai que devemos orar. Segundo a forma de oração que Jesus nos ensinou, não é a Maria (mãe de Jesus), nem a São Paulo, São Pedro, nem a qualquer outro santo que devemos dirigir nossos pedidos e agradecimentos. Podemos até pedir a intercessão destes, mas a oração deve ser dirigida ao Deus Pai.

2 Santificado seja o teu nome

Nessa parte, nós glorificamos, exaltamos o nome de Deus. Devemos dar glória a Deus por tudo que acontece em nossa vida. "Não a nós, Senhor Deus, nenhuma glória para nós, mas sim ao teu nome, por teu amor e por tua fidelidade!" (Salmo, 115: 1).

3 Venha a nós o teu reino

Devemos sempre pedir que Deus reine sobre nós, pois o reino de Deus é um reino de justiça, amor e paz. Queremos que Deus seja o nosso Rei. Assim, como súditos, devemos obedecer aos mandamentos do Rei. Nós tomamos conhecimento desses mandamentos por meio da leitura da Bíblia.
Certa vez, tendo sido interrogado pelos fariseus sobre quando viria o Reino de Deus, Jesus respondeu: "O Reino de Deus não vem de modo visível, nem se dirá: 'Aqui está ele', ou 'Lá está'; porque o Reino de Deus está entre vocês" (Lucas 17. 20-21).

4 Seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu

Deus, na qualidade de um pai bondoso e misericordioso, sempre quer o melhor para nós. Assim, devemos aceitar que se faça a vontade de Deus em nossa vida, tendo a certeza que isso será sempre o melhor para nós.
Mesmo quando acontece algo de ruim em nossa vida, devemos encarar a dificuldade como uma oportunidade para crescermos.


5 O pão nosso de cada dia dá-nos hoje

Aqui, pedimos que Deus não nos deixe faltar o alimento (para o nosso corpo e para o nosso espírito). Que Deus nos dê saúde, inteligência e força para que, por meio do nosso trabalho, possamos conquistar o sustento para nossa vida, atendendo nossas necessidades vitais básicas e às de nossa família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte etc.
Nesse ponto da oração, dou uma recomendação específica para os concurseiros. A cada dia, antes de iniciar os estudos, peça a Deus que ilumine sua mente, lhe dê saúde, tempo, inteligência, para que você consiga entender, da melhor forma possível, a matéria estudada.
Lembre-se que você não é filho único! Os seus concorrentes também são filhos de Deus e, dessa forma, são seus irmãos. Assim, não peça simplesmente para ser aprovado. Peça que Deus abençoe sua preparação, seus estudos. A aprovação será conseqüência da sua boa preparação.
Lembre-se também que Deus não é o seu garçom! Não fique esperando tudo de bandeja! Faça sua parte! Quando se trata de concurso público, a sua parte é estudar.


6 Perdoa nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido

Todos nós cometemos ofensas a Deus e aos nossos semelhantes. "Aquele que estiver sem pecado, atire a primeira pedra" (João 8. 7). Assim, temos muito o que pedir perdão a Deus. Contudo, não devemos esquecer de perdoar aqueles que nos ofenderam. "Pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará. Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoará as ofensas" (Mateus 6. 14-15).

7 E não nos deixes cair em tentação

A petição anterior é dirigida para o perdão das ofensas do passado. Esta se preocupa com as possibilidades de ofensas futuras. Peçamos a Deus sabedoria para que possamos saber como vencer as tentações.
Sigamos o exemplo de Jesus. No Evangelho de Mateus (capítulo 4, versículos 1 a 11), Jesus, ao ser tentado, mostra-nos como se livrar das tentações:

Então Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo Diabo. Depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome. O tentador aproximou-se dele e disse: "Se és o Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães". Jesus respondeu: "Está escrito: 'Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus'".
Então o Diabo o levou à cidade santa, colocou-o na parte mais alta do templo e lhe disse: "Se és o Filho de Deus, joga-te daqui para baixo. Pois está escrito: "'Ele dará ordens a seus anjos a seu respeito, e com as mãos eles o segurarão, para que você não tropece em alguma pedra'". Jesus lhe respondeu: "Também está escrito: 'Não ponha à prova o Senhor, o seu Deus'".
Depois, o Diabo o levou a um monte muito alto e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e o seu esplendor. E lhe disse: "Tudo isto te darei, se te prostrares e me adorares". Jesus lhe disse: "Retire-se, Satanás! Pois está escrito: 'Adore o Senhor, o seu Deus, e só a ele preste culto'". Então o Diabo o deixou, e anjos vieram e o serviram.


8 Livra-nos do mal

Que ninguém nos faça mal. Que nós não façamos mal a ninguém.
Livra-nos do mal que alguém possa nos fazer, mas também nos livra do mal que possamos fazer a alguém.


9 Amém

Usado no fim de orações para expressar a idéia de "assim seja".

Fiquem com Deus! Que Ele continue nos abençoando!




Hugo Goes

Um comentário:

Fernanda Ramos disse...

Amei a entrevista!
Hugo obrigada pelas dicas.
Quando vc diz que devemos pedir a Deus que abençoe sua preparação, seus estudos. ,me senti tocada por Deus. Percebi que não tenho pedido a ele de maneira correta.
Valeu Catia.