INSS: primeiro colocado conta receita do sucesso

"O candidato não pode fazer da reprovação motivo de desânimo. Tem que fazer da reprovação um motivo para ele se preparar melhor para o próximo concurso. Tem um ditado que é tiro e queda: só não passa em concurso s quem desiste". As palavras de Fabiano Raposo, primeiro colocado a analista do seguro social para a gerência regional de Duque de Caxias, na última seleção do INSS, realizada em 2008, são motivadoras para quem pretende participar do novo concurso para a autarquia do Ministério da Previdência.

Fabiano explica que até conseguir ser aprovado no INSS foi reprovado em diversas outras seleções. No entanto, ele destaca que nunca perdeu a motivação de ingressar no serviço público e conquistar uma melhor qualidade de vida. E, para ele, quem sonha em passar em um concurso público deve seguir alguns passos.

"Em primeiro lugar, é preciso ter fé em Deus. Em segundo, estude sempre. Em terceiro, não desista nunca. E quando você passar, seja um bom funcionário, faça o melhor sempre no serviço público brasileiro", disse Fabiano.

O primeiro colocado para analista do INSS explica que manteve uma rotina regular de estudos e que muitas vezes deixou o lazer de lado para conseguir a aprovação no concurso, porém destaca que não chegava a estudar o dia inteiro.

"Eram duas, três vezes na semana que eu fazia o cursinho. Em casa, durante a semana, eu pegava mais umas três, quatro horas por dia. Eu, particularmente, não acredito naquela coisa de estudar oito horas por dia. O meu cérebro não funciona assim. O meu estudo é concentrado, focado, dedicado, mas são duas, três, quatro horas, no máximo, por dia", disse Fabiano, que estudou na Academia do Concurso.

Fabiano destaca que, na época do concurso do INSS, ele aproveitou muito do que havia estudado para uma seleção realizada para o TRE-RJ. "Eu especificamente aproveitava o estudo de um concurso para o outro. Eu passei para o INSS usando a base das matérias para o TRE. Eu dispensei Legislação Eleitoral e aproveitei Direito Constitucional, Português, Direito Administrativo. Tem um núcleo comum para vários concursos. Então esse núcleo vai entrando na nossa cabeça e chega uma hora que aquilo ali vai meio no automático e só é preciso estudar as matérias específicas", destacou.

Olhando para trás, Fabiano destaca que todo o esforço dele foi compensado. "Perdi muito fim de semana. O pessoal ia à praia e eu ficava estudando, mas no final valeu a pena. Tudo o que se planta se colhe. Se você planta estudos irá colhe aprovação. Hoje eu colho cada centavo que investi, cada noite de estudo, cada fim de semana sem praia", finalizou Fabiano, que contabiliza também aprovação em concursos para o Degase, Banco do Brasil e outros.

Fonte : Folha Dirigida

Nenhum comentário: