TRE: divulgadas oferta de vagas e nova previsão de edital

Boa notícia para quem pretende participar do concurso que será realizado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo (TRE/SP). Em declaração concedida com exclusividade para a FOLHA DIRIGIDA, no último dia 16, o presidente da comissão do concurso, Joaquim Marcos Paris de Godoy, adiantou que a oferta será de, no mínimo, 60 vagas, sendo 30 para o cargo de técnico judiciário e 30 para analistas. Das 30 de analistas, dez serão para a área administrativa e 20 para a área judiciária. Além disso, ele ressalta que este é um número mínimo e que pode ser ampliado até a data de publicação do edital, de acordo com as necessidades, em decorrência de aposentadorias e exonerações. "Além disso, o número que for indicado no edital será o mínimo necessário para suprir as necessidades imediatas do Tribunal", disse. "Desta forma, muitas outras poderão ser preenchidas durante o prazo de validade, conforme as necessidades", destacou. Ele também confirmou que a publicação do edital deve ocorrer ainda no decorrer do segundo semestre. "Minha estimativa, pelo andamento do processo, é de que a publicação ocorra a partir de setembro", disse.

Para concorrer a técnico é necessário possuir ensino médio completo e parra analista, curso de nível superior. No caso do técnico na área administrativo, poderão participar pessoas com formação em qualquer área e para analista na área judiciária, quem possui formação em Direito. Os vencimentos são de R$4.674,24 para técnicos e R$7.232,67 para analistas, já considerando os salários iniciais, respectivamente, de R$4.052,96 e R$6.611,39, com o benefício de R$621,28, referente ao auxílio alimentação.
O presidente da comissão do concurso também confirmou que, além das 60 vagas para técnicos na área administrativa e analistas nas áreas administrativa e judiciária, o concurso também deverá contar com oferta de vagas para cargos das áreas especializadas, conforme já havia antecipado o chefe de gestão e desempenho do TRE, Fernando de Aguiar. O presidente da comissão também diz que o número das vagas para as áreas especializadas ainda não está definido e depende de um levantamento que está sendo realizado junto às diversas unidades regionais do órgão. De qualquer forma ele explica que, caso o quadro de servidores do TRE permaneça inalterado até a publicação do edital, algumas destas 30 vagas de técnicos na área administrativa e 30 de analistas nas áreas administrativa e judiciária poderão ser transformadas para as necessidades que forem constatadas para as áreas especializadas. Porém, explica que a tendência é de que não haja necessidade, uma vez que a maior probabilidade é de que surjam mais vagas até a publicação do edital, aumentando a oferta, inclusive para estas outras opções. Quanto a este processo de levantamento das necessidades para as áreas específicas, ele acredita que o posicionamento final destas necessidades deverá ser concluído até o final de julho.

Além disso, o presidente da comissão também confirmou que já estão sendo feitos contatos com as empresas e fundações responsáveis por organização de concursos públicos, para definir qual será a escolhida, mas que o processo ainda está em andamento. Plano de Carreiras - Além dos salários atrativos, o TRE oferece aos servidores um plano de carreiras no decorrer das atividades. A projeção é feita dentro de três classes: "A", "B" e "C", com cinco padrões cada. O salário é composto de vencimento básico,gratificação de atividade judiciária e abono complementar de R$59,87. Desta forma, no caso de técnico, para o servidor veterano, na classe C, padrão 15, o salário chega a R$7.041,86, considerando os R$621,28 de auxílio alimentação. Para analista, R$11.117,27, com auxílio alimentação. Além disso, os servidores contam com adicional de qualificação, que pode variar de R$199,95 a R$530,06 para os técnicos e de R$327,58 a R$860,68 para analistas. Os servidores também contam com gratificação de atividade na área de segurança, que varia de R$931,72 a R$1.484,16 para técnicos e de R$1.528,69 a R$2.435,09 para analistas. Como ressaltado pelo presidente da comissão, além das vagas iniciais, muitas outras poderão ser preenchidas por remanescentes, durante o prazo de validade do concurso, que costuma ser de dois anos, podendo ser prorrogado uma vez, pelo mesmo período. No anterior, realizado em 2006, no caso de técnico judiciário na área administrativa, embora a oferta inicial fosse de 55 vagas,no decorrer do prazo de validade foram nomeados 152 aprovados. Para analista judiciário na área administrativa foram 43, para a oferta inicial de 13 vagas. Finalmente, para analistas, na área judiciária, foram nomeados 366, para a oferta inicial de 17 vagas. Na ocasião foram registrados 99.110 inscritos, considerando inclusive as áreas especializadas, que pedem formação específica, além da escolaridade. A organizadora foi a Fundação Carlos Chagas.

Fonte: F.D

Nenhum comentário: