Sites de compras invadem o mundo dos concurseiros

Que a internet tem facilitado cada vez mais a vida das pessoas ninguém duvida. Um bom exemplo disso são as novas formas de consumo pela web, os famosos sites de compras coletivas. A moda começou nos Estados Unidos em 2008 e chegou ao Brasil com descontos basicamente em restaurantes e bares. Hoje, quase todo tipo de produto é encontrado nesses sites. Com a ascensão da nova comodidade, é claro, os concurseiros não ficaram atrás e muitos são adeptos de compras de apostilas, materiais e até aulas on-line são adquiridas utilizando o serviço. Marcelo Marques, sócio do portal Concurseiro Urbano, primeiro especializado em compra coletiva de materiais para concurso público no país, viu da nova febre uma grande oportunidade. “Tenho pouco mais de dez anos de experiência como professor em cursos voltados a concursos públicos. Sei o que o candidato busca e pensei junto a outros professores que a criação desse tipo de serviço na internet poderia facilitar a vida de muitos”, explica.

Marcelo conta que o desconto é um dos maiores motivos que chamam a atenção do internauta. “É muito difícil você ir a uma loja ou livraria e encontrar uma promoção com 90% de desconto por exemplo. Como na internet para efetuar uma compra precisa um número certo pessoas interessadas no produto, conseguimos negociar com as empresas e oferecer a um valor bem abaixo já que a quantidade de vendas é alta. O preço sempre será um fator determinante na vida dos candidatos”, diz.

Os materiais mais procurados por concurseiros internautas segundo Marques são os livros sobre temas específicos. “É impressionante como as pessoas procuram livros e apostilas sobre memorização. Os mapas mentais (método de aprendizado com elementos ordenados de forma intuitiva com imagens, palavras e linhas) e materiais sobre cognição também são muito procurados”. Marcelo vê com bons olhos a nova ferramenta da web e já prevê crescimento. “A dificuldade é muito grande para as empresas anunciarem materiais para concurso público. Com a segmentação, a cada dia recebemos mais usuários interessados em produtos. Osite está no ar desde janeiro e já são quase 50 mil acessos diários”, relata.

“Com a vida acarretada de tarefas, as pessoas ficam com seu tempo livre para estudos e preparação cada vez mais escasso. Vejo na internet uma opção de reverter isso. Já que pode comprar materiais e assistir aulas completas on-line”, finaliza Marcelo.

A forma como as pessoas se adaptaram às facilidades da internet contribuiu para essa nova mania. “Hoje, as pessoas não querem mais sair de casa para comprar nada. O tempo de locomoção que levaria até uma livraria, o candidato pode aproveitar para assistir uma vídeoaula, por exemplo. Fica mais proveitoso. O próprio acompanhamento do concurso hoje é melhor e mais rápido graças à internet”, afirma Ronaldo Bueno, proprietário do portal QConcurseiros, também destinado a compras coletivas de produtos para concurso público.

A variedade de sites promove ao candidato novas possibilidades. Além dos citados, há diversos portais específicos para vendas coletivas de materiais voltados a concursos como ClickCerto Concursos, Aluno Urbano, Clube do Concurseiro e Banca Maluca, oferecendo mais opções de compras.

“Quem souber procurar, certamente encontrará ótimas oportunidades e materiais de excelente qualidade. Além do conteúdo, o desconto é primordial. Participar de concurso hoje leva um bom dinheiro entre taxa de inscrição, livros, apostilas, cursinho preparatório e às vezes até viagens para o local de prova. Quanto mais puder economizar, será melhor para o candidato”, completa Bueno.

O administrador catarinense José Geraldo Pimenta, 33 anos, é um comprador assíduo dos sites de compras coletivas. “Sempre que posso acesso para saber das novidades. No momento não estou estudando para um concurso específico, mas às vezes aparece algum livro ou apostila que tenho certeza que vou precisar depois. Aí aproveito e compro”, afirma.

Quando perguntado sobre os prós e contras dos sites de compras coletivas, Pimenta destaca o preço e que nem sempre consegue os produtos. “Realmente fica mais em conta comprar dessa forma. Algumas ofertas são muito boas. Porém, a parte complicada é que para efetuar a compra, precisa de um número determinado de pessoas interessadas. Mesmo eu divulgando para outros amigos concurseiros e até parentes, pode acontecer de não completar esse número e não consigo comprar o que desejo”, explica o administrador.

Além do consumo de materiais, muitos candidatos encontraram na internet uma forma de poupar custos e tempo. É o caso do engenheiro agrônomo Haroldo Tristão Vieira da Costa, 27 anos, que está em busca de uma vaga de auditor ou analista na Receita Federal e aproveita a falta de tempo para estudar. “Comecei fazendo cursos presenciais. Depois conheci as vídeoaulas e achei bem produtivas. Assim, posso escolher o meu horário e consigo conciliar meu trabalho com os estudos. Antes não, ou eu me deslocava até o local do curso ou estudava sozinho e sem um acompanhamento”, conta o mineiro de Belo Horizonte.

Haroldo explica que em algumas cidades as vantagens são maiores. “É difícil encontrar curso presencial e de boa qualidade, principalmente em cidades pequenas. Com a internet, o candidato poderá assistir aulas on-line de qualquer lugar do país. No final, fica até mais interessante. Não tem interrupção de alunos com dúvidas durante a aula e posso esclarecer tudo depois via fórum na rede”.

Como nem tudo são flores na vida dos concurseiros, Costa destaca que alguns pontos têm de melhorar. “O único ponto negativo dos cursos on-line é o preço, que em geral ainda não é tão democratizado. Acredito que o crescimento constante do mercado dos concursos públicos torne os preços mais acessíveis e aumente ainda mais a qualidade. Como concurseiro, acredito realmente na eficiência desses estudos”, completa o engenheiro.

Já o paulista de Piracicaba, Luciano Akira, 24 anos, não vê tantos benefícios em utilizar a internet para estudar. “Primeiro que é complicado para achar um horário, eu trabalho e estudo. E mesmo que não precise sair de casa, sinto a necessidade de tirar algumas dúvidas com um professor pessoalmente. Porque se for por e-mail e a resposta for um pouco complexa, por exemplo, pode demorar”, ressalta Akira. O técnico em laboratório emenda que o contato com outros alunos também pode ser bastante útil. “Às vezes, um colega de classe pode fazer uma pergunta sobre determinado tema que talvez outros não prestaram a atenção. Mas a resposta serve para todos. Outro detalhe é que gosto de conversar com outros interessados em concurso público. Vejo nesses bate-papos uma boa forma de trocar experiências”, afirma.

Mesmo que não muito adepto, em aproximadamente um ano utilizando a internet para se preparar, Luciano diz que tem alguns pontos positivos. “Basicamente, as vantagens são a compra de apostilas e livros que poupa um bom tempo. Assim não preciso ficar procurando nas livrarias. E acesso portais especializados para saber informações ou acompanhar o andamento dos concursos”, avalia. Independente do método, Akira sabe os pontos cruciais na vida dos concurseiros. “Seja na internet ou em cursos presenciais, o candidato que tiver muita dedicação, paciência e perseverança com certeza terá êxito em sua caminhada rumo ao cargo público desejado”, completa.

Douglas Terenciano/SP

Nenhum comentário: