Blog da Cátia Pipoca - Dicas de Concursos Públicos

Saiba o que muda no estudo para concurso após sair o edital

A publicação do edital, documento que traz todas as informações sobre um concurso, tem impacto tanto em quem está estudando com antecedência para a prova como para aquele que decide entrar na disputa a partir dali. Quem já estava se preparando precisa examinar o conteúdo programático e checar item por item o que será cobrado em cada disciplina. Podem acontecer surpresas, no sentido de serem incluídas ou excluídas matérias e/ou pontos em relação ao que era esperado. Para quem ainda vai começar a estudar, não há um minuto a perder.

O candidato que já vinha estudando deve fazer uma análise objetiva do edital, assinalando o que já viu e o que é conteúdo novo. Além disso, é importante observar o formato da prova para saber quais matérias contarão mais pontos. Deve-se priorizar o estudo dos conteúdos novos, sem descuidar das revisões permanentes daqueles já sedimentados. O número (e o peso) de questões que serão cobradas de cada disciplina também interfere na distribuição do tempo de estudo.

A partir daí, a sugestão é refazer o planejamento de estudo, considerando os dias até a data da prova. Nesse momento, é válido eliminar tudo o que não se refira à preparação em si e não seja inadiável. Os assuntos já estudados devem passar por uma revisão completa, se possível, a partir de resumos ou fichas-resumo, a fim de ativar a memória das informações. O exercício de cada disciplina a partir de provas anteriores também é indicado para a manutenção do conhecimento já adquirido. Os assuntos novos podem ser vistos por meio de módulos específicos –em cursos presenciais ou via internet- se houver tempo hábil, ou com o apoio de livros.

Para quem começar a partir do edital
Na preparação de curto prazo também vale programar o estudo, distribuindo matérias conforme a importância de cada uma na prova, junto com a otimização da rotina diária -eliminando, temporariamente, na medida do possível, tudo o que não se referir ao concurso.

Além disso, para quem decidir iniciar a preparação somente após a publicação do edital, e em caso de concursos com conteúdo programático muito extenso, uma alternativa possível é inverter a lógica do estudo: começar a partir das questões de concursos anteriores e dali partir para a teoria. Claro que este procedimento não resulta em uma preparação completa, mas pode aumentar as chances de quem teve pouco tempo de preparação.

Se o tempo for insuficiente para estudar todo o programa, é mais produtivo escolher vários pontos menores, em vez de gastar muito tempo com poucos pontos muito grandes ou complicados. Estudando diversos assuntos, existem mais chances de algum ser cobrado na prova.

Como já foi dito em outras colunas, é muito importante resolver provas anteriores, geralmente encontradas no site da instituição organizadora, que tenham sido elaboradas pela mesma organizadora, a fim de conhecer o estilo de questões. Isso dá segurança na hora da prova.

Equilíbrio, e não desespero
Em todos os casos, é fundamental manter a serenidade. O tempo é limitado e precisa ser bem aproveitado, mas isto não significa passar noites em claro estudando, nem descuidar da alimentação. Pelo contrário: é essencial cuidar da saúde para obter o melhor rendimento nos estudos e na hora da prova. Muitas vezes, a decisão mais sensata não é estudar mais, mas estudar com mais equilíbrio.

Quanto a isso, as principais recomendações são aqueles de sempre para quem procura bem-estar: dormir pelo menos 6 horas por noite, para não comprometer a memória, consumir algum carboidrato a cada 3 horas, beber água, e fazer alguma atividade física (caminhada, por exemplo) três vezes por semana. E deixar um dia na semana (ou parte do dia, ao menos) para o lazer, família, amigos. Tudo isso ajuda a manter a saúde em ordem e o estresse sob controle, além de potencializar o trabalho do cérebro.

Nos últimos 15 dias
Na reta final para a prova, o melhor é fazer revisões. Se houver algum conteúdo que precise ser memorizado – a famosa "decoreba" –essa é a hora certa. E, vale sempre lembrar, quase ninguém vai para a prova sabendo tudo. Sempre falta estudar alguma coisa. Então, o candidato deve fazer a melhor preparação possível, com a consciência de que, se o resultado não for a aprovação, deve retomar os estudos antes mesmo de um novo edital, para estar mais qualificado para o próximo concurso. E sempre haverá uma nova oportunidade.

* Lia Salgado, colunista do G1, é fiscal de rendas do município do Rio de Janeiro, consultora em concursos públicos e autora do livro “Como vencer a maratona dos concursos públicos”

Nenhum comentário: