Tribunais de todo país preveem seleções em 2011

A área jurídica concentra milhares de servidores em todo Brasil. Além da estabilidade do emprego público, o setor paga, em média, salários mais elevados do que os oferecidos pela iniciativa privada para carreiras com requisitos e atribuições semelhantes: de R$ 3,9 mil para nível médio e de até R$ 6,5 mil para nível superior.

Para esta matéria, selecionamos os próximos concursos do Tribunal Superior Eleitoral (DF) e do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo. Você também poderá conferir ao lado entrevista do professor Julian Barros sobre os benefícios que a carreira pública na área jurídica oferece aos concursandos.

TSE/DF – O Tribunal Superior Eleitoral já instaurou a comissão organizadora para seu próximo concurso, que oferecerá oportunidades no sistema de cadastro reserva para a sede do tribunal, em Brasília (DF).

Este é o primeiro passo para a concretização do concurso: é a comissão que definirá o número de vagas, as carreiras, os requisitos, a empresa organizadora, valor da taxa de participação e o conteúdo a ser cobrado na seleção dos candidatos.

Segundo a assessoria de imprensa do tribunal, para concursandos com nível médio completo serão oferecidas oportunidades de técnico administrativo, com salário inicial de R$ 3.993,09.

Profissionais com formação em direito poderão inscrever-se para a carreira de analista judiciário para a área judiciária. O salário inicial será de R$ 6.551,52.

TRE/SP – O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo deve nomear nos próximos dias os membros da comissão organizadora do concurso que deverá selecionar profissionais para as carreiras de técnico e analista judiciário. Os salários serão os mesmos oferecidos nos demais tribunais: R$ 3.993,09 para técnico e de R$ 6.551,52 para analista. A expectativa é que o edital seja publicado ainda em 2011.

O último concurso para o TRE/SP foi realizado em 2006 e ofereceu 63 vagas de técnico judiciário para as seguintes especialidades: administrativa, programação de sistemas e enfermagem. Os salários foram de R$ 2.745,53 para as áreas de programação de sistemas e administrativa, e de R$ 4.094,50 para a área de enfermagem. Houve ainda a oferta de 255 vagas imediatas e mais formação de cadastro para analista, cujas oportunidades distribuíam-se entre as áreas judiciária, administrativa, medicina do trabalho, análise de sistemas, engenharia elétrica, engenharia civil e contabilidade. A remuneração para este grupo foi de R$ 4.094,50. A organização ficou a cargo da Fundação Carlos Chagas.

Porquê investir em concursos de área jurídica

O professor de direito administrativo, Julian Barros, da Academia do Concurso, analisou em entrevista ao JC&E as vantagens de se prestar área jurídica. As dicas de Julian estão mais focadas no próximo edital do TRT/RJ, mas elas podem ser adaptadas para o perfil de outros tribunais. Confira abaixo.

JC&E: Por que alguém com formação de nível médio deve prestar concurso para técnico judiciário? Os salários e os benefícios são superiores aos da iniciativa privada?

Julian: Em primeiro lugar, o serviço público garante estabilidade ao servidor. Em relação aos salários o técnico administrativo recebe em torno de R$ 4 mil. Considerando que é um cargo de nível médio, no início da carreira, ou seja, o servidor ainda pode ser promovido, verifica-se uma grande vantagem salarial. É importante lembrar que os tribunais regionais do trabalho, por exemplo, possuem uma série de cargos em comissão e funções de confiança que o servidor pode ocupar e que consequentemente acarretará o aumento da sua remuneração.


JC&E: Como deve ser a preparação para um concurso para técnico judiciário para as áreas administrativa e de segurança?

Julian: Verifica-se pelos editais passados dos tribunais regionais do trabalho que existem matérias básicas para todos os cargos. São elas: português, informática, raciocínio lógico, noções sobre direito administrativo, noções sobre direito constitucional, noções de direito do trabalho e noções sobre direito processual do trabalho. Sendo assim, o candidato deve começar o estudo o quanto antes, tendo aulas teóricas e realizando exercícios práticos. Destaca-se também a preparação através de estudo individual.


JC&E: A carreira de analista oferece oportunidades para profissionais com nível superior. Que benefícios profissionais, o formado terá ao atuar em um tribunal?

Julian: Além dos benefícios mencionados para o cargo de técnico, vale ressaltar a remuneração de R$ 6 mil. Importante dizer que este servidor trabalha com atividade de coordenação e planejamento na área administrativa. Fato que pode destacá-lo das demais funções, engrandecendo o seu currículo.

JC&E: Como deve ser a preparação do candidato para a prova de analista? Ao se preparar para analista, ele também estará apto para prestar concursos de outros órgãos que exigem nível superior em sua área?

Julian: O concurso de analista pede uma preparação mais teórica. Isto porque o conteúdo programático das matérias cobradas em técnico é acrescido de novos tópicos e fora isso são inseridas novas matérias de acordo com cada cargo. Com relação à preparação para outros concursos, o candidato tem o benefício de aproveitar matérias básicas como direito administrativo, português, informática e direito constitucional.


JC&E: A pessoa pode se candidatar ao cargo de analista sem ter formação específica na área oferecida?

Julian: É comum não se exigir formação específica para o cargo de analista judiciário área administrativa. Sendo que para outras carreiras como analista de execução de mandado e área judiciária se pede formação em direito.

Nenhum comentário: