Aniversário da Cidade de São Paulo


"solo sagrado de guarapiranga"



25 de Janeiro - Aniversário da Cidade de São Paulo


Situada a uma altitude de 860 metros, no planalto de Piratininga, sudeste
do Brasil, a cidade de São Paulo é a capital do estado do mesmo
nome, o mais populoso do país. A cidade ocupa hoje uma área
de 1.525 km2. Ela surgiu de um núcleo que se formou em torno da inauguração
do Colégio da Companhia de Jesus, por um grupo de jesuítas,
no ano de 1554.


Num dia 25 de janeiro, os padres Manoel da Nóbrega e José de
Anchieta rezaram a primeira missa daquele assentamento então existente.
É a data em que hoje se comemora a fundação da cidade.


Por que a Companhia de Jesus?


Fundada em Roma, em 1539, pelo espanhol Inácio de Loyola, a Companhia
de Jesus tinha o principal objetivo de combater a reforma protestante e foi
uma instituição muito atuante na colonização do
Brasil. Os primeiros jesuítas vieram para o Brasil em 1549, quando
desembarcaram na Bahia junto com o governador geral Tomé de Souza.


Segundo os historiadores, os jesuítas fizeram um trabalho relevante
com os indígenas, em geral, mas em relação à escravidão,
não se envolveram tanto assim.


Costumavam agrupar os índios em aldeias que eram classificadas como
Missões. Nessas missões, os índios eram catequizados
e trabalhavam no cultivo da terra. Os jesuítas administravam vastas
extensões de terra. O excedente do que era produzido negociavam com
os colonos.


Anchieta e Nóbrega, os dois jesuítas presentes à fundação
de São Paulo, trabalharam com os índios no Brasil de forma diferente.
José de Anchieta dominava várias línguas e foi responsável
pela elaboração de uma gramática de língua nativa
(chamada de língua brasílica). Manoel da Nóbrega participava
menos nas letras e mais como líder, segundo consta, por seu temperamento
enérgico e diplomático.


Ares frios e temperados como os da Espanha


Foi o que acharam do planalto de Piratininga quando o alcançaram
ao escalarem a serra do Mar, os padres Nóbrega e Anchieta. Consideraram
a localização boa quanto ao aspecto de segurança, uma
colina alta e plana cercada por dois rios, o Tamanduateí e o Anhangabaú.
Ao redor do colégio que ali fundaram surgiu o núcleo inicial
da cidade, as primeiras casas de taipa que deram origem ao povoado de São
Paulo de Piratininga.


Dali partiam as bandeiras


No século XVII, as bandeiras, expedições organizadas
para aprisionar índios e procurar minerais preciosos no interior do
Brasil, foram responsáveis pela ampliação do território
brasileiro, mas não pelo crescimento econômico daquela área.
Saíam de São Paulo, explorando sul e centro-oeste, além
do estado de Minas Gerais. Importantes rodovias que hoje partem de São
Paulo foram inicialmente trilhas abertas pelos bandeirantes: rodovia Anchieta,
rodovia dos Imigrantes, via Dutra, rodovia Fernão Dias.


Distante do litoral e isolada Em 1560, São Paulo já era uma
Vila, mas não iria se desenvolver rápido. Sofreu um isolamento
comercial porque estava distante do litoral e seu solo não era propício
ao cultivo dos produtos que àquela época eram exportados.


Até o século XIX, o núcleo se desenvolveria apenas em
torno de um triângulo que hoje é chamado de Centro Velho de São
Paulo, onde ficam os conventos de São Francisco, de São Bento
e do Carmo. Nas ruas Direita, XV de Novembro e de São Bento, estavam
o principal comércio e os serviços da cidade.


Impulso dado pela lavoura do café


Em 1681, São Paulo era a cabeça da Capitania de São
Paulo e, em 1711, a vila foi elevada à categoria de cidade. Com a abertura
de duas novas ruas, a Líbero Badaró e a Florêncio de Abreu,
a área urbana foi sendo ampliada.


Foi na época da independência do Brasil que São Paulo,
como capital da província, com a criação da Academia
de Direito e da Escola Normal, acordou para as atividades culturais, intelectuais
e políticas, porém somente no final do século é
que a cidade iniciou realmente o processo de crescimento econômico,
com o desenvolvimento da cultura do café.


A região recebeu muitos imigrantes europeus com qualificação
profissional (principalmente italianos) o que viria a possibilitar o acúmulo
de capital e a sua industrialização.


O café mudou o perfil socioeconômico da província: abriu
um bom mercado de trabalho, o que atraiu também a vinda de brasileiros
de outras regiões do país, criando o fenômeno da urbanização
na região.


Como São Paulo se urbanizou


A urbanização se expandiu para além do triângulo
dos conventos, surgiram as linhas de bondes, os reservatórios de água
e a iluminação a gás. O Brás e a Lapa eram os
bairros operários, estavam ali as indústrias, próximas
à estrada-de-ferro inglesa. No Bexiga fixaram-se os imigrantes italianos
e nas áreas elevadas e arejadas da avenida Paulista, aberta no final
do século XIX, foram construídos os palacetes dos cafeicultores.


Assim como a abertura da avenida Paulista, em 1891, também foram importantes
obras urbanísticas na cidade, em 1892, o Viaduto do Chá (ligando
o centro velho à cidade nova); em 1825 foi inaugurado o primeiro jardim
público de São Paulo, que é hoje o Jardim da Luz e, em
1901, a nova estação da SÃO PAULO Railway, a Estação
da Luz. Em 1911 São Paulo ganhou o seu Teatro Municipal.


Alguns marcos do crescimento urbanístico de São Paulo Na década
de 20, época de crise do café mas de grande impulso na industrialização,
a cidade cresceu muito.


Em 1922, no Teatro Municipal, acontece a Semana de Arte Moderna, símbolo
do movimento modernista em que intelectuais como Mário e Oswald de
Andrade e Luís Aranha movimentaram as idéias assimilando as
mais modernas técnicas artísticas internacionais.


Essa fase da história da cidade trouxe mudanças marcantes no
campo da cultura e, na década de 30, conflitos entre a elite política
e o governo federal resultaram na Revolução Constitucionalista
de 1932. Foram criadas aí a escola Livre de Sociologia e Política
e a Universidade de São Paulo. Essa é também a época
em que foi inaugurado o maior prédio já construído na
América Latina: o Edifício Martinelli, com 26 andares, o primeiro
da série de arranha-céus que marcariam a futura paisagem da
cidade.


Mudanças deram início à invasão dos autóveis
Na década de 40, São Paulo teve uma intervenção
urbanística baseada no "Plano de Avenidas" do prefeito Prestes
Maia, que investindo maciçamente em seu sistema viário, possibilitou
que a cidade priorizasse a circulação de automóveis,
intensificada também pelo estabelecimento dessa indústria na
década a seguir.


Em 1954, num aniversário da fundação, foi inaugurado
o Parque do Ibirapuera, a principal área verde da cidade, com edifício
projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer.


Foi nessa época que começou a mudança do parque industrial
da cidade para os municípios vizinhos, até que na década
de 70, essa mudança se acentuou.


Hoje, a cidade de SÃO PAULO concentra as suas atividades no setor
de prestação de serviços, com centros empresariais de
comércio como os diversos shopping centers e hipermercados.


Fonte: IBGE




Hoje também é dia do Carteiro (clique aqui e siba mais).

Grande abraço,
Pantoja

Nenhum comentário: