Blog da Cátia Pipoca - Dicas de Concursos Públicos

Por Samantha Cerquetani - A vida em parágrafos


É errando que se aprende...

Quando trabalhava com perícia médica, João Carlos Corrêa deparou-se com alguns artigos de direito penal e a paixão foi imediata. Posteriormente, encantou-se também com a área constitucional, tributária e administrativa. “Hoje, sou o maior incentivador para que todos façam o curso de direito. A área é fascinante. Temos muito mais direitos e deveres do que pensamos. Além disso, ele nos faz entender e olhar o mundo sob outro ângulo”, afirma.

Cansado da instabilidade financeira da iniciativa privada, João resolveu prestar concursos.

Percebeu que o serviço público ofereceria a segurança profissional que buscava e, ao mesmo tempo, poderia trazer algum benefício para a sociedade. Para ele, existem muitos servidores capacitados e que exercem suas funções com primazia. “Na iniciativa privada, muitas vezes, você não tem qualidade de vida. Várias pessoas deixam de tirar férias com medo de serem substituídas”.

Após três anos de dedicação aos estudos e contando com o apoio da família, João foi aprovado no concurso da Secretaria da Fazenda de São Paulo (Sefaz/SP) para o cargo de analista de planejamento, orçamento e finanças públicas. Ele acredita que exerce uma das funções mais belas de São Paulo, já que é responsável por fazer com que o Estado gaste o dinheiro público de forma eficiente e eficaz. Antes disso, também havia prestado concurso para o Ministério da Fazenda e Receita Federal.

Com a família, o analista percebeu que é necessário errar para aprender. Observando os sobrinhos, Guilherme, Gabriel e Juliana a desenhar e a falar, principalmente. “Com cada palavra errada ou desenho incompreensível, percebi que com os erros e tentativas alcançamos a perfeição. Isso é fundamental para o concurseiro”.

O apoio da esposa, Denise, também foi importantíssimo para que o concurseiro atingisse a carreira pública. Frequentemente, ela reafirmava para João que o caminho não seria fácil, mas o resultado seria gratificante. O analista conta também que tudo na sua vida foi assim. Quando pequeno passou por algumas dificuldades na infância, mas sempre persistiu e chegou lá. “Lembro que já tivemos, muitas vezes, que comer canja de galinha no verão, porque não havia o que comer. Era uma canja que tinha só miúdos e pé de galinha”.

Para quem ainda não foi aprovado, João acredita que o importante é ser disciplinado. Isso porque, atualmente, estão exigindo cada vez mais dos candidatos. Para ele, às vezes, os concurseiros de nível médio deparam-se com questões com a dificuldade do nível superior. Porém, acredita que estudar 3h por dia é o suficiente. Mas acrescenta que é necessário intercalar as matérias e saber aproveitar o tempo livre. “Deve-se ler no ônibus, no trem, metrô, onde quer que seja. Todo tempo disponível deve ser aproveitado em nosso favor”.

Controlar a ansiedade também é um dos fatores citados pelo analista. João relembra que uma vez foi fazer uma prova e não dormiu a noite inteira. Resultado? Não conseguiu resolver as questões mais simples. Sendo assim, afirma que o lazer é fundamental. A rotina do João costumava ser estudar por várias horas ao dia, porém, de vez em quando esquecia do objetivo e divertia-se em uma festa ou barzinho. “É preciso ter força, dedicação e persistência. A fila anda. Chegará a hora de todos”.

Engana-se quem pensa que os objetivos na área pública de João terminaram. O analista quer se tornar procurador do Estado. Por isso, voltou a estudar diariamente. Ele gosta de assistir as aulas em um curso preparatório para concursos, tendo assim um primeiro contato com a matéria e sempre procura tirar suas dúvidas com um professor focado em seleções públicas. “Fiz estágio na Procuradoria do Estado de São Paulo e conheci pessoas fantásticas que me ensinaram muito. Meu sonho é ingressar no órgão como procurador”. Alguém dúvida que ele irá conseguir?


http://jcconcursos.uol.com.br/Concursos/Noticiario/a-vida-em-paragrafos-e-errando-que-se-aprende-30207


-----------------------------------------------

Por Catia:


Assim como a estória do nosso amigo João quantos de nós já não passamos por necessidade absurdas, ou seja, ter no verão apenas canja de galinha para comer?

Achamos que o nosso problema é enorme e a dor nos trava e acovarda, porque em certos momentos a única coisa que a nossa mente e corpo quer é se livrar daquilo que nos faz sofrer!

É uma reação normal do nosso organismo, não há motivos para se envergonhar. Mas, também muitos devido a personalidade conseguem tirar de si, lá no fundão do poço, forças que antes jamais descobriria se não fosse a necessidade. Descobre-se uma outra pessoa.

Tenho um conhecido que abriu mão de tudo também e decidiu que queria ser Servidor Público, levou 10 anos. no entanto, apesar de todas críticas que recebeu, sem apoio de ninguém, não desistiu. Após 4 anos de estudos passou em um Concurso em Foz do Iguaçú, segundo ele não tinha dinheiro sequer para pagar a passagem de ônibus quem dirá avião, precisou fazer um empréstimo. Passou quase um mês a base de água com açúcar e pão com margarina. E nessas horas eu penso: "Quem de nós teria estrutura em aguentar uma provação dessas"?


Recebo diversas estórias por e-mails e cada linha que leio noto a dor da pessoa aos descrever suas situações.

É fácil julgar, né? "Ah, o problema dela é pequenino perto daquele lá".

Porém, não é assim meus amores, DOR É DOR! Sofrimento é sofrimento e cada um sente a sua intensidade de modo individual e PONTO!

É necessário respeito e compreensão, afinal das contas não dá para medir a intensidade por ser abstrato(subjetivo). Muitos geram traumas! Travam!

O certo é que meu amigo conseguiu superar a fome e os próprios limites lutando. ALMEJOU e conquistou!


Descubriu que aquele ainda não era o seu limite e mesmo em Foz do Iguaçú continuou a estudar.

Depois de muitas reprovações, houve um tempo que ser aprovado em qualuqer outro não era mais novidade. E eu ou você pensa: "CARACA, 10 anos"!!! Pois é, e hoje emendo e digo: "O QUE É 10 ANOS DE UMA VIDA INTEIRA"? NADA!

Ele é Servidor Público Federal do TCU e todo final de mês olha com orgulho a folha de pagamento (BEM GORDA) todo orgulhoso. Pergunte se há arrependimento de tudo o que passou!?


O mesmo afirmo do João, Maria, Fernanda, Clara e assim será com você ou qualquer outro que não desistir e lutar até ser um Servidor Público.

Sei que em época de Festas não é fácil se manter focado . Eu mesma estou aqui tentando me organizar com tanta "bagunça" a minha volta. Um entre-sai, outro "liga-liga" fone e diversos convites de passeios. TENTAÇÕES, é complicado administrar de fato. (risos)

Acordo, ligo o micro, dou um rôle virtual nas últimas notícias do nosso mundinho Concursando e leio um papel enorme que está aqui na minha frente e diz: "TUDO DEPENDE APENAS DE VOCÊ"! "A ESCOLHA É SUA"!!


Bem, amores, depois de ler isso, resta-me finalizar este texto, dar aquele abração de Ursa bem forte e partir em busca dos meus sonhos. SONHAR E OBJETIVAR é necessário; abrir mão de si e ter disciplina mesmo que a mente e o corpo deseje 80% estar aqui com vocês do que 20% em cima dos livros. E o que vamos(VOU) fazer? Mesmo sem vontade, suspirar bem fundo e pensar: " Pipoca, você tem razão, vou agora mesmo fazer aquela faxina nos meus cadernos, canetas e livros, limpar uma mesinha e sentar revisar minhas matérias. "POR QUE EU TAMBÉM QUERO UM DIA CONTAR A MINHA ESTÓRIA DE VIDA NO SEU BLOG"!

E se não adiantar todo esse meu "Lero-lero", você não sentir aquele gás em começar firme nos estudos em plena segunda-feira. Resta-me apelar! (Empurrar você na marra). Risos


Está aí ainda?


VAMOS! VAMOS! GO! GO!

NÃO ACEITE A OCIOSIDADE COM PRAZER!


Tenham uma linda semana produtiva e lotada de motivação.


C.P


2 comentários:

Anônimo disse...

São estórias como essa, de superação, que nos enchem de esperança e renovam nosso fôlego.

Catita, és um anjinho iluminado. Deus te bençoe hj e sempre.

Bora estudar.

Anônimo disse...

Bela história!!!

Ficar durante anos só estudando não é um desafio fácil. Lidar com a falta de dinheiro, com a cobrança pessoal, com o julgamento dos demais desestabiliza muito.
.
Pra algumas pessoas a semeadura e a colheita acontecem rapidamente. Pra outras (e eu me incluo!!) concurso é algo que exigiu muiiito da sua vida (anos...) e te cobrou decisões difíceis.
.
Acho que a maior dificuldade é manter a fé durante a caminhada, a estabilidade emocional, e a saúde intactas.
.
Depois de vários anos de caminhada, aprendi muito mais do que fazer provas. Também descobri novas amizades (concurseiras e desesperadas como eu..rssss).
.
Também não posso deixar de agradecer a Deus o privilégio de Sua presença em momentos que minhas forças tinham se esvaído.
.

A todos os concurseiros e futuros funcionários públicos e à Catita Pipoca Star, desejo um ótimo Natal e um Ano Novo com as esperanças renovadas, com paz no coração e certeza da futura colheita. bjs F.S