Blog da Cátia Pipoca - Dicas de Concursos Públicos

Dicas para a prova – conhecimentos gerais

O JC&E, novamente, traz aos leitores dicas de estudo para os principais concursos em pauta. Abaixo, você confere a primeira parte das orientações de professores para a prova de escrevente do Tribunal de Justiça de São Paulo, sobre as matérias de português, atualidades, matemática e informática. Não perca, na próxima semana, as dicas sobre noções de direito.

Português

Por Sandra Ceraldi Carrasco*

Estude as explicações a seguir sobre pronomes:

- Meu professor o viu no evento. Usamos o pronome oblíquo átono “o”, pois o verbo exige complemento não regido por preposição. São erradas as construções com os pronomes tônicos: Eu vi ele no teatro, substitua para: eu o vi no teatro. Você fez a prova. Sim eu fiz ela ontem, substitua para: Sim, eu a fiz ontem.

- Não há discórdia entre mim e ti. Os pronomes “mim” e “ti” são tônicos, obrigatoriamente regidos por preposição. São erradas as construções: Não há discórdia entre eu e tu, substitua para: não há discórdia entre mim e ti. Não há nada entre eu e você, substitua para: não há nada entre mim e você.

Grafia de alguns verbos:

Os verbos terminados em "-iar" são conjugados como "renunciar": "eu renuncio", "ele renuncia", "eles renunciam", "eu renunciava", "nós renunciávamos", "eles renunciavam", "que eu renuncie", "que eles renunciem", "se eu renunciasse", "se nós renunciássemos" etc. Entretanto, há cinco verbos terminados em "-iar" que não seguem a conjugação regular: "mediar", "ansiar", "remediar", "incendiar" e "odiar" e permitem que se forme o anagrama "MARIO".

Corrija as frases abaixo de acordo com a norma culta:

- Paulo quer namorar com Ana. O verbo namorar não exige a preposição “com”. Corrija a frase para: “Paulo quer namorar Ana.”

- Acho que meu filho vai repetir de ano. O verbo repetir não exige a preposição “de”, pois quem repete, repete algo, então repetir o ano e não de ano.

Corrija as frases a seguir quanto à regência e à concordância:

- Eu reavi todas as joias. Corrija para: “Eu reouve todas as joias.”

- O chefe interviu na reunião. Corrija para: “O chefe interveio na reunião.”

- Quando eu ver Maria, darei seu recado. Corrija para: “Quando eu vir Maria, darei o seu recado.”

Vamos recordar o uso da vírgula?

A vírgula marca pausa de curta duração e é usada entre termos de uma oração e entre orações. Separa enumerações (A cela tinha uma cama, uma cadeira e uma mesinha de cabeceira.); separa o aposto (O avô do prefeito, um espanhol chamado Luciano, era o valente líder da classe dos carroceiros.); separa o vocativo (Guarde as armas, Rodrigo!); separa o adjunto adverbial antecipado (Um dia, na sala, ele me puxou a barra do paletó e me fez examinar seu dedo machucado.); isola o nome do lugar das datas (São Paulo, 26 de setembro de 2009.); intercala as expressões retificadoras ou explicativas (isto é, ou seja, por exemplo, etc.); mostra sujeitos diferentes em uma frase (João saiu para o banho de sol, e Pedro ficou na cela).

*A professora Sandra Ceraldi Carrasco é autora dos livros: “Curso de Português para Concursos”, “Conjugação de Verbos para Concursos” e “Acordo Ortográfico”, Madras Editora e das revistas “Curso de Português em Casa 1, 2 e 3”, Editora Qualidade de Vida.

Atualidades

Por Marcio Vasconcellos*

Em virtude do constante aperfeiçoamento dos processos seletivos para preenchimento de cargos públicos, pode-se perceber que tais processos se armam, cada vez mais, de instrumentos de avaliação que constituem em um número cada vez maior de assuntos exigidos.


Aos candidatos que almejam uma vaga no concurso para o TJ/SP (Fundação Vunesp) é primordial perceber que a matéria Conhecimentos Gerais e Atualidades, ou simplesmente Atualidades, mostra-se cada vez mais presente nos editais de concursos de todos os níveis.

Mas, para um candidato, como definir o que deve ser estudado frente à amplitude do tema em questão e a freqüente subjetividade dos editais? Como podemos enquadrar a idéia da matéria Conhecimentos Gerais e Atualidades dentro de um concurso público?


Quando analisamos as provas de concurso das principais bancas do país nos últimos anos, podemos observar que é possível traçar um perfil dessa matéria e abordá-la de maneira correta, de modo que possamos dominá-la e assim obter o êxito desejado.


Em princípio, a matéria Conhecimentos Gerais e Atualidades é uma junção de diversas ciências: História, Geografia, Ciências Políticas, Relações Internacionais e economia. De maneira mais sintetizada e objetiva, pode-se dizer que a matéria Conhecimentos Gerais e Atualidades subdivide-se em três grandes pilares: Política, economia e meio-ambiente.


Muitos candidatos acreditam que apenas uma boa leitura diária de um jornal ou mesmo de uma revista semanal consiste em uma quantidade necessária de informações para a realização de uma prova de um concurso público que exige a matéria Conhecimentos Gerais e Atualidades, infelizmente isso por si só não basta.


Para a correta preparação é necessário que se entenda o contexto do cotidiano e, além disso, que se tenha o domínio das chamadas Vinculações Históricas ligadas aos assuntos abordados. Ou seja quando falamos em um fato cotidiano, devemos ter o conhecimento de toda a evolução histórica que está atrás daquele fato e o contexto geopolítico que o fez chegar até aquele ponto, ou seja, sua vinculação histórica.


Sendo assim é muito importante o candidato observar temas ligados a política externa (Mercosul, Unasul, OMC, Irã e Israel e palestina), meio ambiente (biocombustíveis, expansão do desmatamento na Amazônia e fontes limpas de energia), economia (crise financeira na União Européia, Crise imobiliária norte americana, expansão do agronegócio), questões sociais (desigualdade social, programas estatais de inclusão social) entre outros.

*Marcio Vasconcellos é professor de Atualidades do CEAV - Centro de Estudos Alexandre Vasconcellos

Informática

Por Leonardo Rangel*

Aos candidatos que almejam uma vaga no concurso público do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ/SP) é de suma importância, que inicialmente observem o conteúdo programático da disciplina conhecimentos de informática. Notem a exigência da versão XP, tanto para o sistema operacional Microsoft Windows, quanto para a ferramenta Microsoft Office (MS-Word e MS-Excel).

A banca VUNESP costuma cobrar questões sobre a estrutura de pastas encontrada no Microsoft Windows Explorer, as diferenças entre os destinatários de e-mail (Para, Cc e Cco) no MS-Outlook, fórmulas no MS-Excel, cabeçalho e rodapé no MS-Word, entre outras.

Para alcançarem uma preparação mais adequada, aprofundem seus estudos refazendo as questões anteriores da banca, principalmente as mais recentes.

*Leonardo Rangel é professor de informática do CEAV - Centro de Estudos Alexandre Vasconcellos

Matemática

Por Profº Pio*

Inicialmente, é de fundamental importância que o concurseiro resolva todas as provas de nível médio do ano atual referente à banca examinadora, de maneira a familiarizar-se com o nível de cobrança praticado nas últimas provas. Certamente a prova virá com uma distribuição muito equilibrada dos assuntos. É de extrema importância que você chegue no dia da prova com a totalidade do edital completamente dominado. Os assuntos MMC e MDC, PORCENTAGEM (Juros), PROBLEMAS DO 1º GRAU, REGRA DE TRÊS COMPOSTA e DIVISÃO PROPORCIONAL são os mais freqüentes. Um estudo eficiente é aquele em que os exercícios são resolvidos com o DOMÍNIO DOS CONCEITOS. Foi-se o tempo em que os milagrosos “macetes” eram totalmente suficientes para a resolução das questões.

*Profº Pio, do Centro de Estudos Alexandre Vasconcellos - CEAV

Nenhum comentário: