Por William Douglas: O USO DO CONSCIENTE E SUA UTILIDADE PARA O ESTUDO

O cérebro possui capacidade quase infinita. Seria impossível utilizar todo esse potencial simultaneamente. Por isso, temos um consciente e um inconsciente. O consciente trabalha com aquilo em que estamos prestando atenção, sentindo e percebendo tanto fora quanto dentro de nós. O inconsciente é a função que cuidará de todo o resto, daquilo que não estamos prestando atenção no momento.

Ex.: Se eu disser que você tem uma aliança ou anel, você irá lembrar-se se tem ou não. Mas até eu acessar ("ligar") seu consciente para isso, você não se estava "lembrando". Outro exemplo é o nosso pé, ouvido ou barriga: não pensamos neles constantemente, só quando sentimos dor nesses locais. A dor "liga" o consciente para que a sua causa seja resolvida.

O consciente é o piloto de um avião e o inconsciente, o piloto automático. A programação mental e as atitudes determinam como a pessoa vai funcionar "no automático". Quando me refiro a "mandar", a "falar" com o cérebro, estou simplesmente programando o inconsciente para funcionar com o "piloto automático". O consciente é a memória RAM (aquela em que o computador opera) e o inconsciente, a memória do HD/Winchester (aquela onde se armazena toda a informação disponível para ser acessada quando necessário).

A própria capacidade de captação e processamento é distinta, como veremos adiante. O consciente possui um processador analítico, linear, que tem um limite de informações com as quais pode lidar de uma só vez. O inconsciente não tem limites de processamento e trabalha com raciocínio mais aleatório.

Para se ter ideia comparativa entre a capacidade do consciente e do inconsciente, vamos mencionar aquilo que foi dito pelo Prof. Miguel Martinez, do Depto. de Ciência e Tecnologia do Comportamento, da Universidade Simon Bolivar, da Venezuela (apud Machado, 1997, p. 55):

"Sabemos, por exemplo, que, enquanto o sistema nervoso racional consciente (hemisfério esquerdo) processa apenas uns 40 bits (unidades de informação) por segundo, a plena capacidade de todo o sistema nervoso inconsciente (assentado, em sua maior parte, no hemisfério direito, no cerebelo e no sistema límbico) alcança de um a dez milhões de bits por segundo (Hainer, 1968)"

O conhecimento do funcionamento cerebral e o uso da sua atividade consciente auxilia grandemente o controle de reações emocionais e inconscientes, como veremos nos exemplos abaixo:

Respiração x Tensão. A respiração é controlada automaticamente pelo cérebro reptiliano. Em virtude das emoções (que se processam no sistema límbico), a respiração pode disparar ou ficar presa como reação natural à tensão. Com o uso do consciente é possível controlar a própria respiração diante da tensão e, com isso, restabelecer a calma.

Sensação de algo errado. Muitas vezes a pessoa capta informação importante mas o consciente não identifica seu real valor. O inconsciente passa a emitir mensagens de que "algo está errado". Lembra-se do robô da família Robinson na série "Perdidos no Espaço"? Pois é, "Perigo, perigo! Meus sensores estão captando perigo!!" Quando seus sensores inconscientes captarem algo "estranho", "cheirando" ou "soando" mal, não ignore a mensagem de seu sistema de autoproteção. "Se ligue", atente para as circunstâncias. Se você estiver emocionalmente envolvido em uma situação, tente se subtrair dela e olhá-la como se fosse um terceiro. Isto pode evitar um erro, uma gafe, um assalto ou outras coisas ruins.

Correção linguística. Às vezes nosso inconsciente avisa que algo está esquisito numa palavra ou resposta, como disse acima. Além disso, você pode usar o inconsciente para ver a grafia correta. Escreva a palavra rapidamente, sem pensar nela, que a tendência será ocorrer a grafia correta.

Depressão. A tristeza e a depressão levam automaticamente o organismo a curvar a cabeça e pôr os olhos para baixo. Se a pessoa conscientemente alterar sua postura física, olhar para frente e levantar os olhos, dará o primeiro passo para ativar outras áreas e emoções e passar do estado de prostração para o de reação.

Levante a cabeça, tome consciência daquilo que você quer e vá em frente.

Go ahead!

Nenhum comentário: