Blog da Cátia Pipoca - Dicas de Concursos Públicos

Últimas = MPU

MPU: 10.479 novas vagas

Senado aprova projeto criando postos no Ministério Público da União, dos quais 65% terão que ser preenchidos por processo seletivo
Parlamentares aproveitaram o segundo dia do esforço concentrado no Senado para votar projetos que vão fazer a alegria dos concurseiros. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa aprovou e enviou à sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva projeto que abre 6.804 vagas a serem preenchidas por concurso público para o Ministério Público da União (MPU) — 3.749 para nível superior e 3.055 de nível médio. O quadro de pessoal do órgão também será reforçado com 3.675 funcionários comissionados, em um total de 10.479 vagas. O MPU está com inscrições abertas até domingo para preencher outras 594 vagas e para formação de cadastro reserva. A prova está marcada para 11 de setembro.
De acordo com a Procuradoria-Geral da República, contanto que haja recursos previstos na Lei Orçamentária, as novas vagas também poderão ser preenchidas pelos candidatos que prestarem o concurso em setembro. Isso ocorreria por meio do uso do cadastro reserva, enquanto durar a validade do certame, que é de dois anos. O líder do governo no Congresso, deputado Gilmar Machado (PT-MG), afirmou que as pessoas vão começar a trabalhar no ano que vem. “Os recursos já estão reservados para o orçamento de 2011”, garantiu. A proposta prevê que as vagas sejam preenchidas até 2014.
Pelo projeto, 1.701 servidores podem ser nomeados em 2011. O impacto das novas contratações na folha de pagamento do governo será de aproximadamente R$ 760 milhões anuais. Os funcionários serão alocados no Ministério Público Federal, no Ministério Público do Trabalho, no Ministério Público Militar e no Ministério Público do Distrito Federal e Territórios. O relator do projeto, senador Demostenes Torres (DEM-GO), acolheu os argumentos de que os procuradores e os promotores contam atualmente com apenas cinco assistentes, dois de nível superior e três de nível médio. Com o concurso, a média subiria para três analistas e cinco técnicos. No Judiciário, alega o relator, o número de assistentes para um magistrado é de 24 funcionários, em média.
Contratação
Do ponto de vista financeiro, o argumento é que o gasto orçamentário do órgão comporta a complementação de recursos para ampliar o quadro de servidores. O senador do DEM afirmou que a proposta ajuda o MP a fortalecer a estrutura para chegar a pelo menos 25% do tamanho do Judiciário. “A intenção é fazer com que a estrutura do órgão, que hoje representa 15% do Judiciário, chegue a 25% nos próximos quatro anos”. Os salários para os cargos podem variar de R$ 4 mil a R$ 6 mil para técnicos e de R$ 7 mil a R$ 10 mil para nível superior.
Wilson Granjeiro, do Gran Cursos, estima que pelo menos 2 mil candidatos serão chamados enquanto durar a validade do concurso atual. “Novos concursos devem vir para o MPU até que essas 6,8 mil vagas sejam preenchidas. O momento é de se concentrar nos estudos”, orientou. E quem prefere se dedicar à indústria do cinema também terá a oportunidade de concorrer a outros 100 postos efetivos na Agência Nacional de Cinema (Ancine). A CCJ também aprovou projeto da Câmara, analisado em caráter terminativo no Senado, que abre vagas na agência.

Fonte: Correio Braziliense

3 comentários:

Anônimo disse...

O que é a política?
Poderia aqui enumerar vários argumentos que justificam a contratação de até mesmo muito mais do que as 10.479 vagas que estão sendo criadas, mas com certeza, o que mais importa no momento é que teremos mais concursos pela frente, e uma oportunidade a mais para cada um de nós.
Mas tenho que comentar, principalmente para aqueles que pretendem trilhar uma carreira no Judiciário, é um argumento ruim a comparação da estrutura do Ministério Público com a do Judiciário. Deixo a análise final para aqueles que conhecem as duas estruturas e também conheçam os afazeres de cada Casa.
Até mais

Anônimo disse...

O que é a política?
Aqui não se trata de qual partido é esse ou aquele.
A única coisa que parece é que há um desconhecimento da estrutura e do funcionamento dos 3 poderes.
Se os Magistrados disserem que, a falta de funcionários é um entre os vários motivos do por que a Justiça é lenta, tenho certeza que muitos dirão: Não, não, os Magistrados não, é o MP que está com falta de funcionários.
...

Anônimo disse...

Andei lendo as leis, e nelas encontrei que os membros do MPU têm suas promoções alternadamente entre mais antigos e por merecimento ( com alguns detalhes... é verdade). Mas porque então nós concurseiros não temos o direito de sermos promovidos a membros do MPU pela mesma regra. Tudo não é política?
o que se vê é só "play boy e patycinha" que
não trabalham e só fazem cursinho, esses pegam nossas vagas . Assim como pegaram nossas vagas na USP, Unicamp, Ita. etc pós cursinhos pré-vest.
Não temos democracia assim, só "dinheirocracia".
Pronto, falei.