Blog da Cátia Pipoca - Dicas de Concursos Públicos

INSS : FOLHA DIRIGIDA.

Ministro garante concurso para INSS



Até o fim deste ano, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) deverá promover um novo concurso público, destinado ao preenchimento de 2 mil vagas para área de atendimento da autarquia, que abrange os cargos de técnico e analista do seguro social, segundo o ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, na última segunda-feira, dia 23.

"Fizemos um planejamento de concursos em 2005, que prevíamos 8 mil vagas. Mas não conseguimos cumpri-lo. Houve uma restrição orçamentária, muitos cortes foram feitos e isso reduziu a arrecadação e tivemos que pôr o pé no freio em relação às contratações, mas elas ainda continuam sendo necessárias. Eu ainda quero este ano aprovar pelo menos 2 mil vagas de analista e técnico do seguro social", afirmou, acrescentando que as negociações com o Ministério do Planejamento (MPOG) estão em curso.

O cargo de técnico requer o nível médio (antigo 2º grau) e proporciona vencimentos iniciais de R$2.980 (incluindo R$304 auxílio-alimentação), que somados à Gratificação de Desempenho (GD) podem chegar a R$3.280. Já a função de analista exige nível superior (diversas áreas), com rendimentos iniciais de R$4.917, já incluso o auxílio-alimentação (R$304). Com a gratificação, a remuneração chega a R$5.580.

Segundo o ministro, a realização do concurso é urgente, haja vista o grande número de aposentadorias previstas, a carência de pessoal e a necessidade de adequação da estrutura do INSS à implantação do Plano de Expansão da Rede de Atendimento (Pex), que prevê a criação de 720 novas agências e recuperação de outras 521 unidades.

"Nós vamos trabalhar para podermos publicar o edital ainda este ano, porque há uma previsão de aposentadorias e não podemos parar o atendimento. Então é preciso repor os servidores e, além disso, há o plano de expansão das unidades, que prevê mais 720 agências. Nós devemos inaugurar mais de trezentas unidades este ano. Eu não posso inaugurar agências sem ter servidores", frisou o ministro, que está à frente da Previdência Social desde 30 de março deste ano.

Gabas explicou que a carência de pessoal existe em todo o país. "Nós precisamos de vagas em todos os estados. É óbvio que a concentração maior das vagas ficará em São Paulo e nos estados do Nordeste, onde haverá uma ampliação maior do número de agências", salientou, sinalizando que todos os estados deverão ser contemplados com vagas.

Um comentário:

Estudioso disse...

É só não votar no Serra que logo teremos outro grande concurso e outros mais.

Concurseiro de verdade não vota no vampiro brasileiro, Serra.