(MEU DESABAFO)Preconceito em concursos públicos? Já passei por isso...

Olá, minhas flores do dia e meus irmãos de luta!
Sim, eu sumo, mas não para sempre!!!! rs...
Espero que todos estejam muito bem, com muita fé e perseverança para os concursos que estão vindo!
Seguinte. Hoje vim compartilhar com vocês uma história bem chatinha que aconteceu comigo. Eu lembro que, quando contei a minha história como concurseiro, eu comentei que havia sido classificado em um concurso dos Correios, mas não entrei. Agora permitam-me explicar melhor, e gostaria que tirassem suas conclusões e comentassem, ok? Aceito sugestões, críticas e puxões de orelha, só não vale dedo no olho e tapa na cara, certo?
Bem, não tenho vergonha nenhuma de admitir que eu sou, sim, um sujeito, pra não dizer obeso, fora dos padrões de forma física... Quem já me viu, nem que seja por foto, sabe que sou muito mais pra César Menotti do que pra Reynaldo Gianechinni... E, por isso mesmo, como eu já estou ficando velho, pois ultrapassei a barreira das duas dezenas, estou começando a me cuidar. Até entrei pra academia, olhem só!!! rs...
Mas esse probleminha nunca havia me atrapalhado seriamente. Graças a Deus, ainda não sofro nenhum problema sério de saúde, além de que já pratiquei atividade física por um período, mas me tornei sedentário com essa vida louca de trabalho e estudo. Mas, apesar de tal fato ser, sim, motivo de gracinhas na minha adolescência (muitos falam do preconceito contra negros, contra gays, mas esquecem dos gordinhos!), isso jamais se tornou um entrave real na minha vida. Até esse concurso.
Esse concurso foi um dos váááários que fiz nessa correria toda. Pois bem. Fui muito bem, consegui o sexto lugar para Atendente Comercial. ATENDENTE. Trabalhar no balcão, atendendo ao público. Mais à frente entenderão o porquê da ênfase em cima do óbvio.
Até que veio o telegrama. Tinha acabado de ingressar na SEFAZ. Para mim, foi um espetáculo! Duas convocações, no mesmo ano! Teria ticket, vale-transporte, plano de saúde! O salário, sinceramente, não era o maior atrativo. E teria a possibilidade de trabalhar aos sábados, o que, definitivamente, não queria, iria me atrapalhar demais na vida de concurseiro. Mas fui cumprir as etapas do certame.
Nos exames médicos, detalhismo ao extremo. Nossa. Pensei que seria contratado para jogar futebol profissional, tantos foram os exames. Nunca tirei tanto raio-x na minha vida! Fora os exames clínicos, audiometria, tonometria, e todas as metrias que tivessem direito.
Aí, mais uma espera para um telegrama. Qual foi a minha surpresa quando o dito cujo chegou, informando uma bizarrice: Eu estava reprovado por causa do meu IMC!!!!
Aqui eu abro breves aspas. IMC é Índice de Massa Corporal. O meu índice, na época, era 40 vírgula qualquer quebradinho, o que, para a OMS, é caracterizado como Obesidade Grau III, ou Obesidade Mórbida. O que significa isso? Que eu estou na mesma categoria do que os obesos com 180, 200, 250 kg, mesmo no alto dos meus aproximadamente 130 kg... Esse cálculo coloca na mesma balança um obeso que, apesar do seu peso, possui vida social e laboral plenamente ativa, e um obeso totalmente inapto, que talvez nem tenha condições físicas para se locomover! Conseguiram entender a discrepância?
E isso, depois fui verificar no edital, estava lá. Quem tinha IMC acima de 40, INDEPENDENTE DO CARGO, não entrava. Não importava se eu tivesse sido APROVADO em TODOS OS EXAMES MÉDICOS.
Mas, detalhe. Eu fiz prova para ATENDENTE. Não pra carteiro. Nada contra os carteiros, mas até entenderia que um carteiro obeso (por sinal, já vi mais de um!) representa um risco em potencial para a empresa, pela natureza da função. Imaginem colocar um obeso de 180 kg, em pleno verão, numa "lua" de meio-dia, com uma bolsa de 25, 30 kg a tiracolo! Não dá. É como a justificativa de não contratar um cadeirante, por exemplo, para ser soldador em plataforma de petróleo. Em alguns casos, nem precisa lei. O bom senso puro e simples basta para elucidarmos certas situações.
Mas eu iria ficar na agência. Atender público, receber carta, fazer registro, sedex, vender selos, cartões postais, e coisa e tal. Ia sentar e levantar, mas nem ia sair da agência. Detalhe, galera: Trabalhei DEZ ANOS numa imobiliária. Me desdobrava entre o atendimento interno, e o externo, eu era um dos responsáveis pelas vistorias de entrada e saída de locatários, e das avaliações de imóveis para locação. Por isso, não fui um sedentário total. Não ficava parado chafurdado num escritório "full time". Gastei muitas solas de tênis nas ruas maltratadas de São João de Meriti e adjacências, por sinal.
Voltando ao imbróglio que se instaurava, fui a sede dos Correios para saber informações sobre essa bizarrice. Foi quando a pessoa que me atendeu me informou que isso estava previsto no edital - que por sinal, estava mesmo - e que poderia recorrer. Mas teria poucos dias para isso, e precisaria fazer um teste ergométrico. Claro, por minha conta... Hê hê hê hê hêêêê... (risada do Pica-Pau quando se ferra no final do desenho)
Fui procurar um lugar para fazer o bendito teste ergométrico. Aí descobri outra bizarrice: Aqui, na ex-capital federal, só existe UM lugar que faz teste ergométrico para quem tem acima de 120 kg. Pois é. Gordo não pode nem se cuidar quando toma vergonha na cara, né?
Mas fui fazer o bendito teste ergométrico. Morri em 100 denários, sem ter. Não morri fazendo o teste. E descobri... Nada de mais, apenas que era um gordo que não tomava vergonha para emagrecer, mas que tinha um coração ainda tinindo. Beleza. Voltei todo bobo para mostrar o exame, já sonhando com o dia da chamada...
Aí meu exame foi para a mão de três médicAs. Aí descobri outra letra miúda do edital!!!
Abro outras aspas. Leiam o edital LITERALMENTE de cabo a rabo. Você pode literalmente ter dispendido tempo e esforço à toa, pois pode ter algo - mesmo que seja arbitrário, injusto, imoral ou ilegal - que te eliminaria logo de cara, ou depois da sua apresentação como aprovado. O que, para muitos, pode ser um baque difícil de superar.
No famigerado edital, dizia que, no resultado do bendito teste, eu teria que alcançar uma dosagem de O2-sei-lá-o-quê (quem for médico e souber, por favor, explique, porque nem as mocréias lá me explicaram direito!) tinha que estar acima de 40. A minha deu 34. Nada que me fizesse passar meus dias atrelado a um pulmão artificial, eu estava ótimo, o teste disse que não iria enfartar na próxima esquina, nem nos próximos trinta anos, só faltaram me chamar de ursinho fofinho, ou de lindo-tesão-bonito-gostosão, mas disseram "mas é norma do concurso, blá-blá, blá, mas infelizmente temos que desclassificar o senhor..." Saí de lá, claro, puto da vida. Com um gosto de guarda-chuva da boca. Me senti como creio que os negros se sentiam numa época em que "você é assim, então não podemos aceitá-lo aqui..." Senti o preconceito na pele. Na forma de um edital que, por falta de bom senso em separar o óbvio do absurdo, usa um critério - que mesmo que seja padrão, ao meu ver, é injusto - para segregar, sem direito a uma avaliação razoável.
Creio que haverão pessoas que lerão meu relato e dirão "é culpa sua, Carlos, se você fosse dez quilos mais magro isso não teria acontecido...". E, desde já, digo que concordo - em parte - com o raciocínio delas. Sim. Com dez quilos a menos, meu IMC (quem tiver curiosidade pode calcular o seu AQUI) seria menos de 40, e esse imbróglio não ocorreria. Mas, concordarão comigo, não acham injusto, colocar numa mesma balança situações tão distintas como as que ilustrei aqui? E cadê a Constituição, que diz, sobre o princípio da igualdade, que devemos tratar os desiguais de acordo com a sua desigualdade? Diante disso, um edital não pode ser levado "a ferro e fogo" nesse quesito, situações desse tipo deveriam ser analisadas com razoabilidade... O que, definitivamente, não ocorreu, isso vocês serão obrigados a concordar comigo!
Mas, sinceramente, há males que vêm pra bem, pois creio que hoje, na ETN, estou melhor do que se hoje fosse funcionário dos Correios (avaliação fria, sem cuspir no prato em que poderia ter comido!)
Insatisfeito, recorri à Justiça, não para tentar conquistar a vaga "na marra", definitivamente, não tenho interesse nisso. Mas para reparar, de alguma forma, o que julgo preconceito, segregação, segregação por porte físico, tal qual a segregação pela cor da pele, credo, ideologia ou orientação sexual, pois me considerei incluído em critérios arbitrários e nada razoáveis, quando um edital deveria ser razoável ao promover a seleção de candidatos que se preparam, dão literalmente as suas vidas para ingressar nos quadros de um órgão público!
Ainda não há novidades quanto a esse processo, mas fico no aguardo. Esperarei o tempo que for preciso. Só não gostaria de ver outras pessoas passarem por esse dissabor.
Claro que isso não é nenhuma "apologia à obesidade", "pelamordeDeeeeus", queridos. De maneira nenhuma. Claro que existem gordos felizes, bem resolvidos? Aos montes. Mas a obesidade é uma doença, sim. Sem dúvidas. Por isso atualmente estou me cuidando.
É um processo difícil, e envolve força de vontade e perseverança tal qual com o vício das drogas, do tabaco ou do álcool. Mas que todos deveriam tentar, o quanto antes.
A ETN, atualmente, instituiu um projeto específico para esse grupo. Claro, ingressei nele, e com isso estou praticando uma atividade física regular, e - tentando - regrar minha alimentação. É um processo lento, e eu estou ainda bem no início. Mas tomei essa inciativa, e farei de tudo para que seja pra valer!
Bem, queridos e queridas, agora espero os comentários de vocês!!!
Muita paz e muita luz a todos, e um maravilhoso fim de semana!!!

6 comentários:

Concurseira p/ concurseiros(as) disse...

Nossa Carlitos.Vc some,mas qdo resolve escrever,arrebenta!!! Belos exemplos,grandes palavras.Vc nos ensina dia-a-dia e seus relatos nos dá forças para continuar.Vc nem faz idéia o quão veio a calhar essas palavras para mim neste momento.Agradeço de coração.

Anônimo disse...

Nossa, é absurdo demais! Tbm sou obesa e, num exame admissional, o médico me aconselhou emagrecer pq algumas empresas já não contratam com meu IMC (35,59). Apesar de horrível, a "sorte" é que no seu caso a coisa foi bem explícita e vc tem como provar... fico pensando que mtas pessoas na nossa situação são sumariamente eliminadas sem qq explicação, aí fica difícil... Boa sorte com o processo, vai dar certo sim - penso que é uma situação análoga à dos portadores de HIV assintomáticos. Espero que ele possa ajudar mtos de nós! Parabéns pela luta!

Carlos Amaral disse...

Catita, que bom que pude lhe ajudar com minhas mal-traçadas linhas, amiga querida!!!!
Amiga anônima, acho esse preconceito repugnante como qualquer outro. Uma coisa é incentivar os funcionários a se cuidarem, como aqui na empresa estão fazendo. Outra é a discriminação pura e simples. Ótima comparação!
Trago novidades quando elas vierem. Beijos e abraços a todos!

ADRIANA disse...

CARO COLEGA, HOJE ESTOU NO TJMG MAS JÁ FUI SERVIDORA DOS CORREIOS E AQUILO É UMA ABERRAÇÃO, NÃO CUSPINDO NO PRATO QUE COMI. ESSA EXIGÊNCIA DE IMC DEVE SER PORQUE VC FAZ CONCURSO PARA ATENDENTE MAS ACABA INDO PRA UMA AGÊNCIA EM UMA CIDADEZINHA DO INTERIOR, ONDE NÃO TEM CARTEIRO E ELES TE COLOCAM COMO ATENDENTE E CARTEIRO. FOI ASSIM COMIGO E COM MINHA IRMÃ. ÉRAMOS ATENDENTES EM CIDADES DIFERENTES, MAS TINHAMOS QUE ENTREGAR AS CORRESPONDÊNCIAS NA CORRERIA E SEM UNIFORME ESPECÍFICO DE CARTEIRO. TÍNHAMOS QUE DAR CONTA DO ATENDIMENTO, DAS CARTAS E DA ADINISTRAÇÃO DA AGÊNCIA, SEM QUALQUER TREINAMENTO ESPECÍFICO. GRAÇAS A DEUS PASEI NO TJ E SAÍ DOS CORREIOS. A REALIDADE DAS AGÊNCIAS DE CAPITAL COM AS DE INTERIOR É MUITO DIFERENTE. NÃO FIQUE TRISTE POR ISSO. APROVEITE A SITUAÇÃO E ENTRE COM DANOS MORAIS. VC GANHA COM CERTEZA!ABRAÇOS E FELICIDADES!
DRIKA

Carlos Amaral disse...

Cara Drika, desde já, felicidades para vc tb!!! Tb não cuspo nas minhas oportunidades, e graças a Deus tb sou servidor público, como já contei aqui no blog. Mas acho aberração o que fizeram comigo, e o q fizeram com vc tb! A organização e o critério poderiam ser muito mais justos! Espero contar boas notícias em breve! Um grande beijo pra ti!

Concurseira p/ concurseiros(as) disse...

Fico honrada em ler tantas histórias de garra e força!! Parabéns a todos vcs.Nos ensinam muito.