Blog da Cátia Pipoca - Dicas de Concursos Públicos

Achei útil e interessante

CARTA AOS PARENTES

“Caro(a) Sr.(a),
Como é do seu conhecimento, o(a) ____________ tomou uma decisão importante em sua vida, e resolveu preparar-se para ser aprovado em um concurso público.
Não pense que foi uma decisão qualquer! Passar em concurso público é algo transformador, e poderá significar a conquista da independência financeira, de um salário digno, e da possibilidade de ele(a) tocar a vida adiante, e construir um futuro feliz para si e para os seus!
Não lhe parece tudo isso maravilhoso?
Infelizmente, nem tudo são flores! Uma conquista dessa magnitude tem um preço alto a ser pago. Doravante, e talvez pelos próximos meses, ou mesmo pelos próximos anos, o(a) ____________ estará em fase de preparação para enfrentar o concurso.

Será uma etapa bastante difícil em sua vida, e vários ‘sintomas’ poderão ser observados no comportamento dele(a).
À medida que a preparação for avançando, é muito provável que o(a) _________ vá se tornando um pouco mais ausente do seu convívio. Um pouco mais distante. Pode até causar a impressão de que não liga mais para os problemas da casa, ou que se tornou um tanto quanto indiferente.
Sabemos que essa aparente indiferença se tornará, em algum momento da jornada, intolerável.
É possível também que comece a recusar convites para sair, para divertir-se e partilhar momentos de lazer, dos quais antigamente jamais abriria mão. Ao contrário, começará a trocar essas oportunidades de divertimento por longas sessões de estudo solitário, numa mesa rodeada de livros por todos os lados.
Sabemos que essa repetida ausência aos momentos de lazer se tornará, em algum momento da jornada, intolerável.

É possível que o(a) ________ vá, aos pouquinhos, formando um novo círculo de amizades, composto por pessoas um tanto quanto esquisitas, e que, ao que tudo indica, só sabem conversar sobre um mesmo tema, que gira em torno de provas, questões fáceis, questões difíceis, matéria disso, matéria daquilo, aulas boas, aulas ruins, professor que presta, professor que não presta, concurso que não sai, concurso que está perto demais de sair, e coisas do gênero.
Sabemos que esses assuntos e essas conversas monotemáticas se tornarão, em algum momento da jornada, intoleráveis.

É também muitíssimo provável que o(a) _________ sofra variações de humor aparentemente desmotivadas. Justo ele(a), que sempre foi alguém tão alegre e expansivo! Agora, assim ‘do nada’, acorda todo(a) macambúzio(a), com cara de poucos amigos, e sem que você o(a) tenha ofendido ou feito nada que provocasse aquele comportamento.

Sabemos que esses acessos de mau humor se tornarão, em algum momento da jornada, intoleráveis!
O que o(a) Sr.(a). talvez ainda não saiba é que se preparar para concurso é algo que mexe profundamente com o estado emocional do concursando. Uma vez que quase sempre os primeiros resultados em concurso costumam ser desfavoráveis, há um grande risco de se instalarem na cabeça do(a) _______ sentimentos de fracasso, de incapacidade e de profunda ansiedade.

É a angústia de ter sido reprovado que o(a) fará acordar com uma cara ruim e passar o dia inteiro, ou mesmo a semana inteira, mal humorado(a). É o medo de recair em nova reprovação que o(a) fará recusar convites para o lazer e o(a) fará parecer distante e indiferente! É a vontade de passar o quanto antes que o(a) fará mergulhar, com todas as forças, neste universo dos concursos, e o(a) fará pensar em provas e questões quase que vinte e quatro horas por dia, e o(a) fará querer falar sobre esse assunto constantemente, e desprezar todos os outros temas.

Enfim, talvez o(a) Sr.(a) também não tenha percebido, mas o(a) ________ precisa, acima de tudo, do seu apoio. É com a sua ajuda, a sua compreensão, a sua paciência e o seu incentivo que ele(a) espera superar os momentos mais críticos, enfrentar eventuais crises de desânimo, levantar a cabeça diante de alguns fracassos iniciais, para enfim vencer essa batalha!

O que o(a) _________ mais deseja neste mundo é partilhar com o(a) Sr.(a) a alegria dessa conquista.
E ele vai fazê-lo, em breve! E tanto mais, se puder contar com o seu precioso e inestimável auxílio.
Prof. Sérgio Carvalho”

Depois que mandei para a minha mãe ela parou de reclamar das minhas atitudes doidas.
Sigamos na luta !
Um enorme beijo em todos
Gi Guerreira

4 comentários:

Alessandra r. disse...

P/Gi Guerreira-darling, felizmente hoje temos esse cantinho para desabafarmos.
Durante a minha breve vida de concurseira, já sofri muito por parte dos meus familiares,porque deixei de trabalhar para tentar entrar no serviço público,foram momentos de profunda depressão, eu achava que remava contra a maré,diziam que eu deveria era trabalhar,achavam e acham até agora inadimissível eu ser sustendada pela minha mãe,hoje graças a Deus a minha mãe me dá todo o apoio que preciso.
beijocas

Concurseira p/ concurseiros(as) disse...

Alessandra nem me fale.Loguinho poderemos juntar todas nossas histórias e lançar um filme.O que acha?rsrsrsr
.
.
Gi,muito bacana isso.Adorei!Reflete a vida de todo concurseiro msm.Fantástico!

Tati* disse...

Nossa essa eu preenchi,imprimi e coloquei na porta da geladeira...rss valeu!!

Estudioso disse...

Esse texto só pode ter sido redigido por um autêntico concurseiro, não tem outra explicação!

Perfeito. Tbém imprimi, preenchi com meu nome as lacunas e remeti pra meus entes mais próximos.

Valeu pelo post!