Pequena Fábula (Franz Kafka)


Bom dia a todos, guerreiros colegas na árdua batalha campal dos concursos públicos.
Cá estamos novamente para postar algo, espero que seja útil.
Trago um belíssimo texto de um escritor Tcheco, Franz Kafka.
Sou apaixonado pela escrita desse gênio da literatura mundial.
Literatura permeada de pessimismo, mas um pessimismo pautado na razão e na inteligência.
E a literatura é isso, como queria Bandeira, “dar ao leitor satisfeito de si, o desespero”.
Serve para fazer pensar. Fazer reagir. Fazer acontecer de forma diferente, melhor.
Cogito, ergo Sun! (penso, logo existo).
Eis o texto, que deverá ser transposto para o nosso mundo insano dos concursos.
Insano sim, pense encararmos essa falta de regulamentações dos concursos, essas (des) organizadoras de concursos, que, parafraseando Chomsky, preferem o lucro às pessoas, esses órgãos públicos que não nos respeitam muito fazendo concursos com cadastro de reserva sem chamar ninguém depois.
Absurdo.
Pois bem, a fábula de Kafka.

PEQUENA FÁBULA

"Ah", disse o rato, "o mundo torna-se a cada dia mais estreito. A princípio era tão vasto que me dava medo, eu continuava correndo e me sentia feliz com o fato de que finalmente via à distância, à direita e à esquerda, as paredes, mas essas longas paredes convergem tão depressa uma para a outra, que já estou no último quarto e lá no canto fica a ratoeira para a qual eu corro.”.
"Você só precisa mudar de direção", disse o gato e devorou-o.

Galera, os concursos estão se afunilando cada vez mais. Vai chegar uma hora em que 100% de aproveitamento será o mínimo.
Por isso, é bom nos unirmos cada vez mais.
Esse cantinho aqui é um exemplo. Passemos por aqui todo dia para nos renovarmos de confiança e determinação.
Cada um no seu cotidiano, com suas estratégias de estudo e suas maneiras de conciliar trabalho e estudo, ou família e estudo, ou seja, lá o que for, mas aqui será o ponto de encontro, aliás, já está sendo, mas é preciso nos fortificarmos cada vez mais e sempre.
Aqui o mercantilismo é algo que não cultivamos.
O patrocínio se faz necessário apenas para manter o canto bonito e arrumado, e compensar os esforços despendidos por aqueles que estão sempre presentes, debruçando-se sobre o blog e fazendo chover.
A Cátia conheço da net, mas um dia reparando que ela não estava mais postando lá no nosso tópico do MPU no PCI, mandei a seguinte mensagem pra ela: vim aqui só pra ler a coluna da Catia.
E é verdade. É uma pessoa abençoada, que saberá conduzir com maestria esse cantinho iluminado.
Detalhe: é concurseira, está na luta também, aliás, é nossa concorrente, concorrente, mas aliada, e os conselhos dela são conselhos baseados na experiência dela, portanto pragmáticos e válidos.
Aqui não seremos como em muitos lugares: o homem lobo do homem.
Termino por aqui.
Desculpem se fui prolixo.

4 comentários:

Diário de uma concurseira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diário de uma concurseira disse...

RTK,adorei o texto.
Sobre as afirmações feitas a minha pessoa,com vcs não é diferente.São tão bons qto!! Por isso fazem parte deste Blog.Deus está nos abençoando e ainda temos mta coisa para receber dele.Mtas bençãos msm!Estamos conectados espiritualmente uns com os outros.
Bons estudos.

Ricardo Thomas Kober disse...

Ok.
Estamos nesse barco que nos levará a Jesus...rss

Diário de uma concurseira disse...

A Jesus não sei,pretendo primeiramente chegar ao meu tão sonhado cargo...rs.E q Jesus já esteja cmg...rs