Blog da Cátia Pipoca - Dicas de Concursos Públicos

APRENDENDO COM OS RELATOS DE CONCURSEIROS."Era uma vez..."

Bem, no meu primeiro concurso fui numa banca de revistas comprei uma apostila do TRT4 e decidi que todos os meus problemas estavam acabados.Considerei que aquele ato mudaria minha vida, de fato, mudou.
Eu estudo para concursos há mais de 4 anos, eu sei disso , pois minha primeira prova foi no aniversário de 1° ano do meu filho mais novo.
Quando eu peguei a apostila eu só estudei a parte de legislação, sempre me considerei boa em português, já matemática era meu fraco, como ainda é, nem estudei essa parte , resultado, classificação 8 mil e poucos, notei que eu não era boa em português e nem em coisa nenhuma.
Era meu segundo casamento e as coisas não estavam nada boas, vi nos concursos a grande virada na minha vida, o fim de todos os meus problemas, com um bom salário , poderíamos comprar uma casa, contratar alguém para me ajudar com as crianças, pois desde que meu segundo filho nasceu eu não tive nem mais um minuto de paz e isso perdura até hoje.
Meu filho mais velho é autista e o bebê tornou-se o alvo dele, eu vivia com o bebê no colo , pois se o colocasse no carrinho ou no berço o maior viria imediatamente para machucá-lo, o que seria um ciúme normal em crianças normais ,nele tudo virou mais do que era para ser.
Eu precisava de um milagre.
Contava que teria a ajuda do meu marido, pois o maior interessado era ele, mas mais do que os meus dois filhos e minha casa ele tornou-se o maior dos meus problemas.
Durante um ano eu estudei escondida, esperava ele dormir para estudar, pois ele sempre tinha uma tarefa para mim se me visse estudando, se eu estivesse de mp3 ele sempre tinha um assunto urgente, e aí começou a pior fase da minha vida. As brigas eram constantes, as crianças ficavam piores e tudo estava pior, e meu marido só tinha uma palavra para o “caos” é a merda desses teus concursos que deixou nossa vida assim, não , não era, os concursos foram a forma que eu achei de melhorar a situação que já estava insustentável há muito tempo.
Fiz minha segunda prova , MPU , ali eu já sabia um pouco, mas muito pouco para sequer sonhar com uma nomeação , decidi colocar o meu filho menor meio turno na creche, aí as coisas começaram a melhorar, já tinha um tempinho para estudar que não fosse pela madrugada, eu era a mulher mais feliz do mundo. Durou 4 meses a minha felicidade.Era tarde demais, no MPU fiquei em 2 mil.
Comecei a estudar para o MPRGS, o qual demorou mais de ano para sair, eu me sentia começando a me equilibrar nas pernas, me sentia mais segura, mais segura eu me sentia , mais inseguro ficava meu marido, agora o problema não era mais os concursos e sim o dinheiro que era gasto na escolinha para o menor.
Eu fazia todo o serviço da casa, ajudava nas despesas com a pensão do maior, eu pegava de todos os lados, ainda editava vídeos, fazia sites, eu nem sei como fazia tudo isso, mas eu fazia, e ele sempre a reclamar.
Um belo dia eu me acordei e disse chega, eu vou somente estudar e cuidar das crias, não vou mais trabalhar como web designer, afinal , eu mais tomava tufo do que ganhava alguma coisa, mas para meu marido eu era um bom negócio, pois trabalhava para empresa em que ele trabalha, mesmo se fechassem o negócio eu nem saberia, aconteceu algumas vezes, por isso larguei de mão.
Essa parte da minha vida eu chamo de “teste de resistência”, ele me infernizou tanto, mas tanto que eu tomei uma medida que jamais tomaria, pois o amava, eu decidi me separar.
Essa parte da minha vida eu chamo de “retardo mental momentâneo”, por óbvio com o dinheiro que tinha eu não conseguiria alugar uma coisa decente, mas eu queria somente estudar, acreditava em mim, estava muito perto, o edital tinha saído e eu não tinha um segundo de paz do lado dele, isso aliado as duas crianças me dariam chances 0%.
Arrumei um cubículo e ali eu me enfiei com meus dois filhos, eu nem sei o que tamanho que tinha, mas minha janela dava para uma parede e eu pulava no meio das camas para caminhar, era um quarto com cozinha e banheiro.O meu filho maior começou a ter crises de claustrofobia, gritava o tempo todo, sentia-se muito mal, o menor tirei da escola e coloquei numa creche pública, tinha que caminhar muitas quadras para levá-lo, tudo isso eu fazia com ele no colo, ele recém tinha 2 anos , era inverno, ele é asmático, para não me estender, eu piorei muito a situação, pois ele mais ficava em casa do que ia para creche, o maior nessa altura ia o dia todo para escola especial, ele não podia mais ficar dentro do cubículo.
Um ano eu fiquei ali dentro, tentando estudar, por óbvio rodei em tudo, pois eu consegui piorar tudo, num dia chamei a avó paterna do meu filho mais velho e disse:
- Eu vou te dar o mais velho, vou dar o mais novo para o pai e vou ir trabalhar, aqui não há mais como ficar.
Essa parte da minha vida eu chamo de “atitudes extremas para casos sem solução”, deu certo, uns 3 meses depois ela comprou um apartamento onde vivo hoje com os meus dois filhos , é bem maior, aliás aqui é meu paraíso, aqui eu não me arrependo de nada do que fiz, eu tenho um sonho , eu acredito em mim, se as pessoas não acreditam o problema é delas.
Criar dois meninos sozinha tornou-se muito complicado, é uma luta diária, ainda tenho minhas 4 horas, mas não tenho mais que me esconder, já tenho grana para investir em cursos, livros, é uma barra , mas que faço com muita determinação, que já passou por tudo que eu passei em prol de estudar, tudo que eu passar daqui para frente não é nada, eu sei que chegarei onde quero chegar.
Quanto ao meu ex-marido, hoje ele é meu namorado, já brigamos algumas vezes pelos meus estudos, mas da última eu provei que jamais ele vai me desvirtuar de onde quero chegar, ele entendeu o recado e me ajuda ficando com o meu filho mais novo nos finais de semana, afinal eu fui longe demais para ele se arriscar de novo, acho que ele entendeu que não estou brincando.
Há uns 3 meses atrás a firma do meu primeiro marido faliu e ele me disse que não teria mais como ajudar a pagar as despesas enormes do meu filho mais velho, essa parte da minha vida eu chamo de “desilusão com o mundo”, agora que eu estou ficando pronta eu terei que fazer tudo o que o destino evitou que eu fizesse?....de novo Deus se apresentou e eu ganhei na justiça o direito de tratar o autismo do mais velho a cargo do governo, essa parte da minha vida eu chamo de “vitória”.
Há 4 anos me dizem que eu terei que parar, há 4 anos eu não paro, há 4 anos eu vivo para passar, para educar essas crianças e para eles se orgulharem de mim, e só pararei quando conseguir, essa parte da minha vida eu chamo de “guerra”.
Qualquer erro de digitação não reparem, fiz esse texto na correria, assim como são todos os dias da minha vida, mas pela Pipoca eu me prestei a contar para vocês a minha história.
Vocês adorariam saber como eu me viro em 10 para estudar, mas eu o faço, e o tenho feito cada vez melhor, a nomeação ainda não chegou, mas é uma questão de pouquíssimo tempo ela chegará , o que me dá liberdade de dizer.
Não desistam jamais de seus sonhos companheiros.

Um fraterno abraço
Gi Guerreira

20 comentários:

Concurseira p/ concurseiros(as) disse...

Gi fiquei muito emocionada com o seu relato.Os nossos problemas ficaram infinitivamente menores qdo encontramos pessoas tão guerreiras qto vc.Nossa,sem fôlego.Uma Guerreira exemplar!!
.
Estão vendo meus amigos??!! O que vamos fazer qdo o desânimo bater em nossas portas?! Lembrar de pessoas como a Gi e redobrar nossas forças! VAMOS CONSEGUIR!!Um apoiando o outro!

Siegrid Rj disse...

Gi, tb me emocionou muito... sua garra, seu diferencial, vc ñ ficou na inércia apesar de tudo desabar em cima de ti...são poucos q tem essa coragem esse ânimo...e isso mostra sim a capacidade... Guerreira...sua hora ta perto...bjussssssssss

Nane disse...

Gi, você é uma guerreira, não desanime nunca. Também não tem sido fácil para mim, mas lendo sua história vejo que não estou só nesta luta por aprovação em concurso.
Torço por você!

Crisnane
http://naneestudandoparaconcursos.blogspot.com

Gi Guerreira disse...

Gurias,pois é, até meus problemas de hoje ficaram menores quando eu mesma me li, rsrsrsrs, mas é uma luta árdua, uma luta diária, mas se fosse fácil não seria para nós não é?
Um beijo enorme no coração de todas !!!
Sigamos na luta ;-)

jean disse...

torço para que seus sonhos se tornem realidade!! voce merece!! todos os nossos esforços concerteza serao recompensados, e com o apoio de pessoas como a catia a nossa jornada sera menos ardilosa. um abraçao e força ai, estou contando que um dia voce vai postar aqui como voce foi aprovada!!!

Anônimo disse...

Gi Guerreira
Em breve seu nome vai mudar para Gi Vitoriosa e Nomeada!!! Vitoriosa vc já é. A aprovação e nomeação logo virão e vc poderá escrever um livro contando, já pensou que legal, será uma bela história...Muita força e fé!
Beijos da Piupiu

Alessandra disse...

p/Gi Guerreira- Lembre da minha ordem:"Seja forte e corajoso!Não fique desanimado, nem tenha medo,porque eu, o Senhor,seu Deus,estarei com você em qualquer lugar para onde você for!" Josué 1.9.
Que a sua felicidade esteja no Senhor!Ele lhe dará o que o seu coração deseja.Salmos 37.4
Ponha a sua vida nas mãos do Senhor,confie nele,e ele o ajudará.Salmos 37.5.
Em tempos de guerra ,nunca pare de lutar profetiza eu sou vencedora,eu posso,consigo.Lute sempre,desistir jamais!!FELICIDADES MIL.

Ju disse...

Giiiii caramba q barra... realmente vc dá mais forças p todos aqui!!!! bjssss

ronalvic disse...

Torço por você, de coração.

Estudioso disse...

Por mais que as circunstâncias lhe pareçam adversas, apesar de estar ferido por algum golpe que a vida lhe deu, a Gi não cruzou os braços.
Fica aí a lição: se você, concurseiro, quer uma vida tranquila e sem esforço, não se atreva a sonhar.

Concurseira p/ concurseiros(as) disse...

Gi recebi diversos e-mails de pessoas que se emocionaram,e muito com seu relato.Foi uma grande lição!
.
Fiquei ausente o dia todo e amanhã terei aula na parte da manhã.Por favor,fica de olho no Blog.Bjks

harihara disse...

nossa, uma história de força, coragem e muuuuita determinação!!! uma inspiração pra qualquer pessoa! torcendo aqui pra vc!!!

jean disse...

oi gi!! voce relatou que seu filho é autista...
voce sabia que a maioria dos grandes genios do mundo tinham essa caracteristica? eu estava folheando a superinteressante virtual e encontrei uma materia intessante sobre isso. concerteza muitos aqui no blog ja leram , mas fica a dica

http://super.abril.com.br/saude/maiores-cerebros-mundo-447712.shtml

abraços

Aninhaspw disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aninhaspw disse...

Gi,
Parabéns pelo seu depoimento!
Acredito que centenas de concurseiros se emocionaram como eu.
Sua lição de garra e força transforma a vida em um lugar ainda mais lindo para passearmos e as questões pessoais desaparecem.
Beijos com carinhos para os seus filhotes e pra vc.
Da sua coleguinha daqui do blog

Gi Guerreira disse...

Oi povo guerreiro, quando a Pipoca me sugeriu contar a minha história, eu nem sabia por onde começar, pasmem, eu sentei na cozinha e num caderninho de receitas, enquanto os guris almoçavam , foi saindo esse texto, que mais verdadeiro não podia ser. Espero sinceramente tê-los ajudado de alguma forma, pois foi somente este o meu intuito, eu sou só mais uma no meio de milhões de batalhadores, muitíssimo obrigada pelas palavras de carinho e força,espero gritarmos muito pelas nossas vitórias, pois elas virão, eu só tenho uma certeza, enquanto continuarmos na fila, a fila anda, se não sairmos dela chegará a nossa vez.
Um enorme abraço em todos !!!

Rafita disse...

Gi!!! Realmente "guerreira" é uma palavra que bem define vc, e a palavra "corajosa" tb se encaixa mto bem ao seu perfil e em nada me excedo dizendo isso!
Aliás, eu q tava aqui já pensando "meu Deus como vou dar conta de me dedicar aos estudos tendo duas filhas pequenas, casa, trabalho, marido...". Encontrei no seu depoimento a força que tanto precisava!´
É isso aí guerreira, é assim q se faz, seus filhos ainda te dirão o quanto se orgulham da mãe corajosa e forte que é!
A nomeação será apenas o começo de uma vida brilhante pela frente!
Parabéns! Bjkasss

Rita Pessoa disse...

Nossa Gi, estou sinceramente emocionada com seu depoimento. Hoje foi um dia difícil pra mim e por isso vim no micro ler alguns artigos sobre motivação para ver se eu me animava e ganhava forças novamente para continuar... E me deparei com este seu depoimento, agora já posso desligar o micro, encontrei o que precisava, se vc consegue com tantos problemas pq eu tb não conseguirei? Mas não podia desligar meu micro sem antes lhe dizer o quanto te admiro e torço pelo seu sucesso. Tenha a certeza que festejarei sua aprovação, quando ela ocorrer, como sendo minha!! Bjs

Carlos Amaral disse...

Gi, só agora tive a oportunidade - aliás, a honra - de ler o seu relato. De coração aberto, verdadeiro, contundente, sem rodeios. Arrepiante, emocionante, cativante, motivante. Perto da sua história, a minha luta - que também está aqui no blog - pode ser considerada fácil. Pq foi vc sozinha, e Deus, claro, em "full time". E vc não perdeu a fé em momento nenhum! Guerreira é eufemismo para vc, amiga (posso já chamá-la assim?)!! Vc é mais que guerreira, vc é vitoriosa! Admiro demais pessoas assim. E fico honrado e lisonjeado em poder conhecer relatos como esses, de pessoas que, ao mesmo tempo que possuem a altivez, a coragem e a determinação de passar por cima de todas as adversidades, têm a humildade de encorajar a todos, dizendo ternamente "se eu consegui, vc pode conseguir, com certeza!". Um grande beijo, guerreira! Muita paz e muita luz para vc, sempre!

Gi Guerreira disse...

Carlos, fiquei comovida com suas palavras, muito obrigada,sou sua admiradora há muito tempo, te acompanho desde o Pci, és um exemplo de força , aliás aqui neste espaço só temos gigantes. Um enorme beijo , desejo-te muita luz também !