CONCURSO x CURSINHO (PARTE 1) - Por Elaine Cristina

Olá amigos!

Constantemente recebo pedidos de orientação sobre a necessidade de fazer cursinho, não só de pessoas que tem à sua disposição inúmeras possibilidades de escolha, como daquelas que, seja pela cidade onde moram, ou mesmo pela grana curta, não possuem possibilidade ou meios de fazer o tão sonhado cursinho. Afinal, é fundamental fazer cursinho para passar em concurso?

Vou lhes responder isso em duas partes, para que possamos conversar sobre as vantagens e desvantagens (se é que realmente existe alguma) de se fazer um cursinho para concursos.

Que tal falarmos um pouquinho sobre a nossa história de vida? (calma, não vou começar a contar que era baixinha, meio gordinha e sardenta até os 11 anos e que matemática sempre foi minha matéria preferida). Na verdade, quero apenas que você recorde: Quando foi a primeira vez que você ouviu falar em cursinho? A palavra cursinho começa a ser vivenciada logo cedo em nossas vidas, já que para aqueles que cursaram a faculdade, muito se discutia sobre a importância de se fazer um cursinho pré-vestibular para passar nas universidades, principalmente nas públicas.

Enfim, qual o papel desses tais "CURSINHOS"?, afinal não eram ensinadas as mesmas matérias do 2º grau? Se vocês recordarem bem, lembrarão dos seus professores do terceiro ano. Será que eles tinham tempo de dar aula, avaliar e corrigir as provas dos alunos e ainda, acompanhar os inúmeros vestibulares e provas que vinham sendo aplicadas ano a ano, sabendo o que vinha sendo cobrado por essa ou aquela banca e também como as questões vinham sendo pedidas? Pois é, talvez fosse aí que os cursinhos pré-vestibulares tivessem um enorme significado. Mas, e para os que não conseguiram, quem não estudava e, conseqüentemente, não passava, no fim do ano, dava a desculpa de que não tinha feito cursinho, que não aprendeu os "macetes". Mas, será que isso era realmente verdade? E para os que fizeram cursinho e não passaram, o que faltou?

Pois é, em concurso público acontece da mesma forma; Como estão envolvidos diretamente com as provas de concurso, os professores acabam se especializando e tendo como grande objetivo trazer para os alunos não só matérias atualizadas, mas, buscam traduzir para uma linguagem simples tudo aquilo que muitas vezes eles quebram suas cabeças para aprender enquanto alunos (e, em alguns casos, até mesmo desvendar, já que algumas matérias ou leis teimam em ser bem complicadinhas!).

O ramo de cursos preparatórios para concursos tem crescido muito nos últimos anos (não sei ao certo se pela crescente procura por concursos públicos, visando uma carreira mais estável ou mesmo porque o nível cobrado nas provas tem sido cada vez maior). Junto a isso vimos muitos bons cursos e professores surgirem e se firmarem no mercado como vimos também muitos oportunistas. Aqui repousa a grande dificuldade em avaliar o quanto um cursinho pode melhorar a sua vida de concurseiro e conseqüentemente o seu desempenho nas provas. Mas, como avaliar isso? Que tal começarmos pelos principais aspectos que ligam os concursos e os cursinhos?

CURSINHOS "POR PACOTE"

Os cursinhos de "pacotes" são aqueles onde você se matricula para aprender todas as disciplinas da prova em um curto espaço de tempo. Acho que a maior vantagem desse tipo de curso é de ser útil para as pessoas que nunca tiveram vivência com as disciplinas da prova; Neste caso, elas poderão conhecer em um curto espaço de tempo, os principais aspectos da disciplina, os pontos que vem sendo abordados nas mais recentes provas e principalmente, saber todas as atualizações que poderiam passar despercebidas em um estudo individual.

Outro grande aspecto que tem que ser observado diz respeito ao ritmo adotado, já que você se obriga a adotar uma disciplina rígida de estudo, delimitando o tempo de cada matéria e empenhando-se ao máximo não só para acompanhar o que o professor está explicando, mas principalmente aprofundar os estudos. Sendo assim, considero esta uma ótima forma de iniciar a sua disciplina de estudos, mas é fundamental continuar o ritmo após o término do curso e também do concurso.

Antigamente, só era possível conseguir turmas de cursinho já com o edital na praça, o que reduzia muito o tempo para as aulas e para se cobrir todo o programa. Talvez seja esse um dos grandes equívocos para os que pensam em fazer cursinho: Acho que é muito mais produtivo procurar um curso com antecipação, para que se tenha a oportunidade de rever toda a matéria, do que terminar as aulas na sexta-feira com prova por fazer no domingo.

Hoje, já se encontram por aí muitas turmas abertas com antecedência, envolvendo as principais disciplinas, ou até mesmo todas as disciplinas, quando já se conhece de pronto as matérias que serão cobradas. Mas tome cuidado, pois existem alguns concursos passíveis de mudanças e, mais vale optar por fazer as matérias básicas para depois cursar as específicas. (entretanto, prefiro conversar com vocês um pouco melhor sobre isso em um dos próximos artigos).

CURSINHOS POR MATÉRIA

Bom, agora vamos abordar de outra forma: Você já fez um curso preparatório mas... a)gostaria de aprofundar os estudos; b)acha que faltou algo mais nessa ou naquela disciplina e gostaria de aprofundar os conhecimentos, ou mesmo acha que, no primeiro curso: não deu tudo de si; não conseguiu acompanhar os professores, enfim, você sente que está faltando alguma coisa.

Neste caso qual seria a melhor opção? 1)Fazer um cursinho de pacote novamente; 2)Nunca mais fazer cursinho, ou tenho uma terceira opção? Acho que talvez uma boa solução para suprir essa dúvida seria fazer um cursinho por matéria. Mas, o que seria isso? Na verdade, quando fazemos um curso "por pacote", parece-me que, no final, sempre fica aquela vontade de querer mais, a gente nunca acha que a carga horária foi suficiente, fica sempre uma sensação de vazio. Foi dessa necessidade de conhecer de forma mais aprofundada essa ou aquela disciplina, que surgiram os cursinhos por matéria, uma espécie de especialização para a prova, já que com uma carga horária um pouco maior, com certeza pode-se aprofundar, trazer mais exemplos. Em muitos lugares já se oferece a possibilidade do concurseiro optar por cursar só essa ou aquela disciplina, sendo assim, acabou aquele papo de falar: ´pôxa!, fui bem em todas as matérias, mas não consegui aprender essa ou aquela disciplina e foi isso que me derrubou no concurso!´. Agora você não tem mais essa desculpa, viu?!!!

Bom, hoje vamos ficar por aqui. No próximo, vamos conversar sobre o outro lado: Em não fazendo cursinho, tenho chances de passar? Além disso, vou procurar conversar sobre os aspectos mais importantes de se fazer ou não um cursinho.

Um grande abraço e bons estudos.

Nenhum comentário: